sexta-feira, abril 08, 2011

34


Esta fotografia foi tirada ontem à noite, na Zara. Nela está um par de calças Skinny, nº 34, e a minha mão aberta, que ocupa mais de metade da largura das calças.

Não percebo agora esta tendência de tornarem os números cada vez mais pequenos. Aquilo não é um 34. Pelo menos antes, não muito antes, não era. Eu já usei 34 e nunca na vida caberia numas calças daquelas. Nem sequer passariam pelo tornozelo. Isto porque eu tenho ancas, rabo, cintura e, para além de serem o 34 mais estreito que já vi até hoje, as calças não têm corte nenhum, são a direito, são uma antítese às formas femininas. Não admira que haja tanta rapariga a querer emagrecer à maluca, a fazer dietas "milagrosas", a tentarem ser idênticas àqueles modelos - retocadas no photoshop - que aparecem nas revistas, pensando que vão ser mais bonitas por caberem num 34 daqueles. Cada vez mais existe o culto à androgenia e à anorexia - apesar das próprias marcas/lojas dizerem que não, o que está em voga agora é o ar saudável.
Apesar de gostar de roupa e de moda, acho isto desprezível: o não haver respeito pelo corpo feminino, estes números enganosos. É verdade que estou a fazer dieta, mas também posso dizer com todo o orgulho que não o faço para tentar caber num 34 igual a este. Faço-o por motivos de saúde, para perder os quilinhos que tinha a mais. E faço-o de forma saudável e controlada. Se há coisa que eu gosto é de ter ancas, cintura, rabo e peito.

4 comentários:

  1. Não perguntes À tua dentista quando tiras o aparelho senão vives em angústia contigo mesmo! xD

    ResponderEliminar
  2. Concordo!
    Eu também usava o 34...agora não entraria numas calças 34 por muito que tentasse! E os números da Mango? Fazem-me sentir enorme :o ainda ontem experimentei uns vestidos...tive de experimentar um vestido XL (sim, XL) e no entanto, um outro vestido em S já me servia...isto faz algum sentido?*

    ResponderEliminar

Gambuzinem