quarta-feira, junho 29, 2011

Se me dessem a escolher

um talento qualquer, escolhia saber cantar.

Só para dar algum descanso às pessoas que têm a infelicidade de viajar comigo no carro.


Depilação a laser

Estou a considerar em gastar dinheiro nisto de forma a ver-me livre do belo do buço e do pêlo da sovaqueira. Principalmente pelo buço, que uma pessoa distrai-se, quando dá por ela, tem uma farta bigodaça que faria inveja a qualquer senhor das beiras dos anos 80. A sovaqueira também dá algum trabalho visto que não há máquina nem cera que se aproxime de zona tão sensível. Tendo em conta que eu não gosto do look à la tropical francesa - que se resume por ter uma pequena floresta tropical debaixo do seu braço, com direito a micro-clima e tudo!-, é algo para me dar o que fazer algumas vezes por semana.

terça-feira, junho 28, 2011

É não gozar, faxavôr

Este próchimo mex vou  ândar a falare axim. Xopinha de maxas. É o que dá ter um eláxtico a prendere o canino de xima com doix dentex de baicho. Male conxigo abrire a boca. Max é por uma maravilhoja cauja: a dentixta dixe que chá não falta axim muito para poder tirare o aparelho exmifradore bocal.

Dói cada um dox dentex, os que tenho e os que não tenho. Maje fiquei muito felix com a notixia!

Também fiquei a xaber que afinal não tenho o siso a nasxer, é mesmo uma pequenina infexão - maix dinheiro gasto na farmáxia. Ainda bem que paxo a vida a lavar ox dentex, xenão chá me tinham caído todox, com a xorte que tenho.

Um pouco sobre mim



















A minha Família


















O meu gambuzino

















Os meus amigos
























Rir

















Ler

















Fotografia


















Viajar


Comer e cozinhar

























Arte























Animais - sou uma acérrima defensora dos direitos dos animais

















Praia




















Doida por sapatos


















Completamente viciada em música e concertos, principalmente de rock

















Design
























Desenhar

Regras:
1. Divulgar a quem passou a Tag: D. - http://nalaesimba.blogspot.com/
2. Publicar fotografias das coisas que vocês mais gostam (podem ser da net)
3. Passar a Tag a 10 meninas: que não o vou fazer. Quem quiser, esteja à vontade :)

segunda-feira, junho 27, 2011

Quantos mais acidentes

vão ter de acontecer para que as pessoas se apercebam que o cinto de segurança pode salvar uma vida?!

O Angélico até podia não vir depressa; até podia não ter bebido; até podia ser o melhor condutor do mundo, mas a verdade é que há demasiadas situações em que tudo pode correr mal - como foi o caso - para se confiar nas suas capacidades como condutor e escolher andar num carro sem cinto de segurança. Tenho, por isso, pena que o rapaz tenha sido negligente para com a sua própria vida e tenha contribuido de certa forma para que esteja na situação em que está. Tenho muita pena, não por ser conhecido, não por ser uma cara laroca, não por dançar bem ou mal, não por ter muitas ou poucas namoradas, não por ter um ar simpático, mas principalmente por ser um rapaz novo, com uma vida inteira à sua frente. Tenho muita pena porque deve ser insuportável, na falta de melhor palavra, para a sua mãe ter de decidir entre desligar ou não a máquina que mantém o seu filho vivo.

Espero que o rapaz consiga ultrapassar isto e que sobreviva sem quaisquer mazelas. E espero, mesmo, que acabe por servir de exemplo para tantos outros jovens - e não só - que o cinto de segurança pode, efectivamente, salvar vidas, e para que se mude a mentalidade do português nas estradas portuguesas.

Por fim, espero que a pessoa que emprestou o carro, tenha a consciência bem pesada por ter posto nas mãos de outrem um automóvel que não estava em condições e que nem seguro tinha.

Segunda-feira

Tenho uma amiga que há poucos dias se vira para mim e comenta: "aiiii Karina sem acento! Estás sempre tão bem-disposta! Como é que consegues isso?!"

Que ela não me veja hoje. Muda logo de opinião.
Malditas segundas-feiras.

domingo, junho 26, 2011

É muito fácil falar.






















Mas é pior quando se têm o nariz entupido e quando a garganta parece um tapete onde os gatos afiam as suas unhas. Isto e o dente do siso a estilhaçar a minha sensível gengiva como uma granada em câmara lenta, tornaram o meu fim-de-semana prolongado ligeiramente diferente daquilo que eu estava à espera. Idêntico a uma sessão preparada pela inquisição medieval. Ou a Guantanamo com a "música" da Mafalda Veiga aos altos berros sem parar. Uma tortura, portanto.

sábado, junho 25, 2011

Síndrome formal tiazoco

Se há coisa que não falta aqui para estes lados onde vivo é o "Síndrome formal tiazoco", e manifesta-se por episódios de mania. De certeza que já ouviram as expressões "lá vem a tiazoca ou o tiozão cheio de mania!".

Um dos episódios mais frequentes de mania do "Síndrome formal tiazoco", é o tratamento formal que existe entre pais e filhos: "Bernardoooo, venha cá! Porte-se bem!"; "Mamã, gostaría que me pudesse comprar este polo da Gant!". 

Curiosamente, apesar deste tratamento formal entre pais e filhos - e outros membros da família - é incrível o seu comportamento social: em festas da societé, levam os seus fatos das casas mais caras francesas, levam as jóias mais requintadas, sem gastarem um único cêntimo por isso, cumprimentando as pessoas com apenas um único beijinho, e tratando toda a gente como se o mundo lhes pertencesse; mas em ocasiões menos formais, conseguem descer ao nível dos chimpazés: desde deitarem papel para o chão, a não puxarem os autoclismos das casas-de-banho públicas dos centros comerciais. São pessoas que, assim por alto, gostam de exacerbar o seu comportamento, independentemente da situação.  

Voltando ao tratamento entre pais e filhos, esta é uma situação que me deixa com alguma urticária, confesso, principalmente quando oiço a Mamã tiazoca perguntar ao seu filho de dois anos - que é um potencial tiozão, com as suas futuras calças vermelhas e sapatos de vela com sola branca-: "Martim, já decidiu o que quer ser grande?! Não sabe?! Estou a ver que vai ser a vergonha da família!".

Agora, a grande questão que se coloca é: como é que tratam os seus cães de estimação? Continuam com o seu tom formal ou será que se tornam mais informais com os seus melhores amigos?
 "Bobbi, venha já aqui! Deite-se! Sente-se! Lindo cão! Bobbi, quieto, já cagou a entrada, seu marotinho!".  


sexta-feira, junho 24, 2011

Selinho

Já recebi este selinho, da Ana FVP, há algum tempinho, mas ainda não tinha oportunidade para o colocar aqui!

Obrigada Ana!

















Este Selinho tem o propósito de criar um efeito borboleta do bem! Gentileza gera Gentileza. Divulga quantos blogs quiseres, principalmente aos que estão começando, distribui gentileza!
"Sê gentil sempre que possível! É sempre possível." (Autor: Dalai Lama).

Assim sendo, este selo vai para:

Vânia - Lolly Taste
D - (In)Diferente
Imagina... - Imagina que...
Daniela Pereira - entre chávenas de chá
Rosie - Terrible Rose
Philippa Stlye
S' - Queen of my own kingdom
Ana - Emotional Algebra
Farruskinha
Pozinhos de Perlimpimpim
L* - hoppípolla
Tsuripa Buranka


Há mais, há mais, mas por agora, fico por aqui!*

Obrigada a todos que por aqui passam e que gostam de ler as minhas parvoíces :)

Inesperado

Podias ter escolhido nascer no Inverno, num dia frio de chuva e vento, a caminho do trabalho. Podias ter escolhido nascer no Outono, em que os dias ainda são bons para as pessoas passearem na rua, mas já com casacos para nos proteger do frio. Podias ter escolhido nascer até num dia ameno de Primavera, quando já podia pensar em pôr os pés na praia. Podias ter escolhido nascer num serão de cinema durante um mau filme (na Árvora da Vida, por exemplo!); Podias ter escolhido nascer nalgum espectáculo mal organizado. Podias até ter nascido num dia quente de Verão, em que eu estivesse no meu local de trabalho...

Mas tinhas de nascer neste fim-de-semana prolongado de Verão em que a ideia era apenas dormir - comer - praia, sempre descansadinha sem ter que aturar as tuas dores, ó meu parvalhão dente do siso! Não podia ter sido noutra altura, não?!

Mas que violência!!!


quarta-feira, junho 22, 2011

Oláááááááá

fim-de-semana prolongado! Seja benvindo!

Whislist -- urgente!!

Uma caminha e umas almofadinhas para poder fazer um ó ó. Tipo, para agora já.

Mover +

Então isto é assim: nunca fui uma daquelas miúdas assim muito dadas a ginástica e desporto e essas coisadas todas. Era, sim, devota ao Volley e a essa grande modalidade que é o badminton - aquilo é que era ver as penas a voarem de forma praticamente letal em direcção ao outro jogador. Tirando isto, fazia o suficiente para me manter activa durante os 50 minutos de aula de educação física e tirar positiva no final de cada período. Atletismo então é que não era mesmo para mim: o salto em altura era muito bonito mas era para ficar de rabo assolapado enquanto via os outros todos a mergulharem em direcção a um poste para depois cairem em cima de um conjunto de colchões da data da Maria Antonieta; no salto em comprimento era já uma sorte em chegar à caixa de areia onde era suposto aterrar; a corrida, essa era a pior de tudo o resto. Talvez seja por isso que sempre gostei tanto de volley e de badminton: não era necessário aquela corrida desenfreada como se estivesse a fugir de um meteorito em minha direcção.

O que acontece é que, apesar de não ser muito dada a desporto, sempre me ía mantendo activa, e como sempre gostei muito de volley e badminton, praticava estas modalidades com alguma frequência. Só que a faculdade lixou-me o esquema. O tempo começou, primeiro, a escassear para poder fazer desporto. Depois começou a escassear para ter refeições minimamente decentes. Folhados de queijo e croissants tirados directamente da máquina de comida e bebida do 2º piso eram os meus banquetes. Comecei a engordar. E nessa altura já não chegava só parar com as pseudo-comidas. Era necessário fazer desporto, mas cadê a paciência, disposição, vontade e tudo mais para pôr o corpo a dar dois passos em frente?

E assim arrastei a situação durante uns anitos. Até este ano, que decidi ir ao nutricionista e comecei a fazer desporto. Mas como os ginásios são um pouco caros - e porque eu já andei num e o entusiasmo é um cabrão que só decide dar as suas graças nas primeiras 3 semanas, depois desaparece deixando-me desamparada e com uma conta mensal para pagar sem lá sequer pôr os cotos - decidi enfrentar o maior dos meus medos e receios: a corrida - que pelo menos é de borla, basta um espaço público porreiro.

Não tem sido fácil, mas agora até vejo algum piadinha em correr. Nem que seja porque já emagreci o que queria e agora quero manter este peso e tonificar as zonas mais murchas do corpo, como a barriga. E hoje, o Mover+ fez um comentário no post abaixo deste. E eu fui ver o que era. E não é que aquilo me parece bem que nem ginjas?!

O Mover+ é um espaço online em que as pessoas se registam e podem colocar os seus dados, os seus objectivos, e o espaço vai dando dicas. Para mim, nesta fase, acho isto bestial, até porque agora o meu receio é voltar a ganhar aquela gordurinha que se tinha instalado no meu lindo e pequeno corpo.

Parece-me fantástico! E não, não estou a ganhar nada em divulgar isto, mas gostei da iniciativa. Além do mais aquilo é à borlieux. E toda a gente gosta de umas coisinhas porreiras, úteis e sem gastar um tusto.

terça-feira, junho 21, 2011

Perguntinha estúpida (ou não)!

Haverá cuecas de desporto para mulheres?!
É que correr e sentir as cuecas a enfiarem-se no meio do rabo, não é lá muito confortável. E andar sempre a puxar as cuecas para fora é, digamos que, pouco chique.

Para festejar o Solstício de Verão
























Soube mesmoooo muito bem.

Logo à noite vou correr e só páro quando os meus pulmões tiverem saltado 5 metros de distância para fora do meu corpo - qualquer coisa como 7 minutos devem chegar para o efeito.

Hoje






































começa a melhor época do ano: a época do calor, das esplanadas, dos refrescos, dos grelhados, dos festivais de música, da praia, do bronze, dos bikinis, dos vestidinhos, dos acampamentos...
Hoje começa o Verão!!!

Mas atenção, só começa depois das 18h.

segunda-feira, junho 20, 2011

Um dia destes....

Qualquer dia começo a meditar. Na verdade só preciso de aprender a concentrar-me como gente indiana, porque a parte do ficar quieta o tempo que for necessário na mesma posição, bato qualquer pessoa aos pontinhos.

Ou isso, ou ponho-me na Rua Augusta a fazer-me passar por Mulher Estátua - sempre ganhava uns trocos. Ooommmmmmmm.

domingo, junho 19, 2011

R.I.P Bilhete de indentidade

A minha carteira é um autêntico cemitério de recibos. Vou lá enfiando tudo o que é recibo, factura, papel, papelinho, folhinha do multibanco e afins, não vá ser necessário para devolução, troca, reparação ou comprovativo de compra. Mas quando realmente preciso do tal por algum motivo, nunca o encontro - foi parar ao lixo ou ao saco da compra, que por sua vez foi parar ao lixo.

Depois, quando já não consigo fechar a minha carteira XL, decido deitar fora todos aqueles papéis que já não preciso - que é cerca de 95% do conteúdo da carteira . Mesmo assim, acredito que é o facto de, a partir da próxima já ter o cartão de cidadão e, consequentemente, o B.I, o cartão de Utente, o cartão da Segurança Social, o cartão das Finanças e ainda o cartão de Eleitor irem aos porcos, que vou andar muito mais leve.

sábado, junho 18, 2011

Acerca da droga nas faculdades

Já foram às oficinas da faculdade de Belas-Artes?

Aquilo é a Holanda das universidades.

É incrível

como todas as pessoas parecem umas presidiárias na foto do cartão do cidadão.

Eu, então, pareço uma presidiária assustada. Sempre que me pedirem o cartão do cidadão, vou ter de esbugalhar um pouco os olhos, senão ninguém me há-de reconhecer.

Na loja do cidadão

E o sabão e água continuam a ser inimigo número 1 de muita gente.

sexta-feira, junho 17, 2011

Amanhã...

é sábado!!!!!!!!!!!!
E vou passar a manhã na Loja do Cidadão... que é como quem diz, o mesmo que cortar os pulsos com folhas de papel...

A partir de agora

sempre que não perceberem o meu nome à primeira e perguntarem "Catarina?!", "Carolina?", "Cááááárina?!", "Carvalho?!", "Carneiro?!", "Coelho?!", eu respondo:


Brincos e afins

Gosto de ver umas orelhas furadinhas. Como o meu gambuzino diz, tenho as orelhas todas furadas, parecem um coador - na verdade tenho 7 brincos - 4 numa orelha mais 3 na outra orelha - e o piercing, na cartilagem. Não é assim tanto quanto isso, de tal maneira que de vez em quando passa-me pela cabeça tornar a coisa uniforme e furar a outra orelha mais uma vez.

Felizmente tenho a brilhante ideia de não andar a trocar isto todos os dias - só a trabalheira que dava. Por isso, só vou trocando os primeiros furos, e os restantes ficam durante longas temporadas sempre com os mesmos brincos. A grande questão é que os brincos ficam com um cheiro um pouco pestilento, e nem sequer aqueles supostamente anti-alérgicos se safam. Sim, porque se eu ponho uns brincos da Parfois durante 3 dias seguidos fico logo com as orelhas que nem pele tostada de leitão. Por isso, só consigo usar alguns da Acessorize e os da Stone.

Mas continuando: bem que desinfecto os brincos, mas o cheiro teima em não sair. Em conversa com uma amiga, descobri que não sou a única, que é mal comum. Agora, penso eu: se fico com os brincos a cheirarem o que cheiram, e os furos são mínimos (o suficiente para para aquela agulha conseguir passar), imagino como ficaram aqueles que têm tunnels - que eu acho horrível. Blhec!


quinta-feira, junho 16, 2011

É que sabe mesmo bem

estar a correr/caminhar no paredão de Oeiras e ficar enjoada com o cheiro a McDonald's que fica do outro lado da estrada. Brutalíssimo. Nem consigo imaginar como ficam aqueles que ainda têm coragem de lá entrar.

Mesmo assim fiz o percurso inteirinho: 7km ao todo sem me queixar.
Óóó p'ra mim toda feliz e orgulhosa - e ainda a mexer, parcialmente, as perninhas.

Uma borbulha

já é chato. Uma borbulha à entrada do nariz é o descalabro.

Xiça!

Uma pessoa equilibrada portanto...

Dizem que mulheres com ancas estreitas e ombros largos têm níveis mais altos de testosterona que mulheres com ancas largas e ombros estreitos. Tendo em conta as minhas pernas roliças, as minhas ancas parideiras e os meus ombros estreitos, o meu lado masculino é mínimo.

Isto a nível físico, porque a nível psicológico já não é bem assim: gosto de carros, gosto de música "pesada", gosto de tecnologia; interesso-me por política; não sou muito romântica, e tenho dificuldade em expressar de forma verbal os meus sentimentos. Orgulho-me por ver filmes de terror e não desatar a berrar que nem uma carpideira da Nazaré. Não tenho, muitas vezes, paciência para certos dramas femininos.
Obviamente que também tenho o meu lado feminino, e até é bem vincado: gosto de moda (ou de trapos, como queiram chamar), e... agora não me recordo de mais nada em especial.

Considero-me uma pessoa inteligente e culta, interesso-me por diversas áreas, sou viciada em livros, música, cinema. Defendo os direitos dos animais. Não sou feminista na verdadeira acepção da palavra - acho que merecemos tanto as mesmas oportunidades como os mesmo deveres e obrigações. Sei que sou teimosa e casmurra, mas também reconheço quando estou errada.

Ou seja, sou uma pessoa física e mentalmente equilibrada.
Se assim sou, porque é que me fui meter no design?

quarta-feira, junho 15, 2011

Voar

Não gosto de ver pássaros em gaiolas. Acho uma barbaridade: para mim os pássaros são para voar. Há quem diga que esses pássaros "de gaiolas" já nem sabem voar, que morreriam se os tirassem daquelas prisões. Eu sei que isso é verdade, mas também sei que só é verdade porque há pessoas que teimam em colocar os pobres bichos confinados a espaços mínimos, deixando-os sem qualquer liberdade para abrirem as asas e fazerem aquilo que melhor sabem: voar. Um pássaro que nasce e vive em liberdade não precisa de ninguém para o ensinar a voar, nem ninguém para o proteger.

Lembro-me que há uns anos atrás houve uma grande polémica causada por um idiota que se lembrou de colocar gatos dentro de uns recipientes, deixando-os sem qualquer espaço para se mexer. Obviamente que os gatos ficavam completamente atrofiados. Se os tirassem de lá, passado algum tempo, os bichos também já não conseguiriam dar uso às suas pernas. O mesmo se passa com os pássaros: se eles não dão uso às asas, acabam por atrofiar e por se habituar àquela realidade.

Acho que se uma pessoa quer ter um animal de estimação - independentemente do animal que seja - tem que ter condições para tal. Um cão, principalmente daquelas raças grandes, deve ter um quintal para poder correr; se se tem um aquário pequeno, deve-se ter poucos peixes e de dimensões pequenas; e os pássaros devem ter espaço para voar.


Com uma vontadinha

de pintar o meu cabelo desta cor


Aiiiiiii *suspiro* gosto...

segunda-feira, junho 13, 2011

Fim-de-semana prolongado

Dia de Portugal + Festas de Lisboa + Praia + Festas de Lisboa Parte II Sto António






































Estou rota.