quinta-feira, setembro 22, 2011

Momento muito infeliz

Eu sabia que este momento iria chegar, mais cedo ou mais tarde. Mas, por mal dos meus pecados, chegou mais depressa do que eu estava à espera. É um episódio muito triste e infeliz da minha carreira: o momento em que tive de escrever a primeira palavra segundo o novo acordo ortográfico. Custou-me. Parecia que estava a ser envenenada. A palavra soou-me mal, soube-me a fel. Fiquei com algumas náuseas. Ainda resisti. Vou fingir que não reparei. Mas lá teve de ser. Custou-me, não foi assim que aprendi a escrever e este novo (des)acordo ortográfico é uma autêntica chacina à nossa escrita, só mesmo equiparável à escrita de Saramago (nãoooo, eu não gosto nadinha dos livros dele).

Mas pronto. Lá ficou atividade. Que nojo.


20 comentários:

  1. :( Lamento, também tenho resistido à força toda, mas sei que mais cedo ou mais tarde... Chapéu, Adeus belo Português tal qual como o aprendi... Ridículo este (des)acordo...

    Força Karina*

    ResponderEliminar
  2. Eu já ando nessa luta há umas semanas. Devo dizer, que com o hábito isto vai :)

    É uma mudança. Não devemos resistir-lhe, não vale a pena :)

    Beijinho, queridaaaaaaaaaa

    ResponderEliminar
  3. Eu ando em modo resistência, ainda não aderi a ele, mas mais cedo ou mais tarde não vou ter outro remédio!

    ResponderEliminar
  4. Eu ainda resisto, embora mais cedo ou mais tenha tenha que me render. Detesto, detesto destesto :(

    ResponderEliminar
  5. O que é que o novo acordo ortográfico tem a ver com o Saramago? :|

    ResponderEliminar
  6. Eu continua a resistir e não vou aderir a esta aberração que ofende a nossa cultura.

    Não sei se já assinaste a petição que anda na net?

    Imagino a tua indignação e desprezo a escrever essa palavra.

    O problema são os nossos filhos que aprederam a escrever de uma forma e este ano tem que aprender a reescrever novamente... não é normal o que se passa neste País.

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. É de fato muito bom.
    Aplicando o acordo, passo a descrever o que me aconteceu ontem.

    De fato ontem vesti um fato uma vez que tive uma reunião com um fornecedor na empresa onde trabalho.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  8. Oh Karina, como te entendo. Eu trabalho com crianças por isso, desde o ano passado, que tenho de lidar de muito perto com este novo acordo ortográfico. Também não o amo, antes detesto (muito semelhante ao que sinto pelo saramago e pela escrita. Não gosto nem de um nem da outra). Mas, depois de ter ouvido a Edite Estrela a explicar as razões deste novo acordo, procurei perceber um bocadinho melhor, o que não implica aceitar. A ideia, segundo ela, é simplificar a nossa lingua e eliminar aquilo que está a "mais". Tem sido feito ao longo da história e esta é só mais uma vez. Dói-nos cá por dentro mas também no tempo dos nossos avós outras regras foram "acordadas". É a vidinha...que todos os males fossem estes.

    ResponderEliminar
  9. ainda não escrevi ao abrigo no novo acordo, e enquanto poder não o vou fazer, mas eventualemente há-de aparecer um trabalho e teremos de vergar:-( bahhhhhh

    ResponderEliminar
  10. eu serei a última pessoa a escrever segundo a nova ortografia, bem sei que estou reformada pois se estivesse no activo seria obrigada e só assim OBRIGADA é que faria tal assassinato
    kis :=(

    ResponderEliminar
  11. Como te percebo. mas o que fazer? Querem mesmo que isto vá para a frente.

    ResponderEliminar
  12. Catarina: não gosto! não gosto! não gosto! :(

    Ana: não consigo, tenho de resistir. bahhh ****

    Se eu pudesse...: já me custa ter de ler certos jornais com o novo acordo, quanto mais ter de escrever :(

    trintona: óh, eu ainda tenho esperanças que isto não vá em frente...

    Sílvia: compreendo-te tão bem...

    Aflito: o facto de eu não gostar nem do novo acordo, nem do Saramago. Acho a escrita dele horrível.

    abspinola: sim, já assinei isso! :D

    Pedro: sim, de fato!

    Ana: sim, eu sei que tem de haver alterações, senão a língua morre - como aconteceu com o latim. Mas se eu tivesse de começar de escrever "tou" em vez de "estou", não me espantava, porque tem de ser a escrita a acompanhar a língua, e nunca o contrário. Os nossos c's e p's antes dos t's, existem porque tem a ver com a nossa maneira de falar. Quando li pela primeira vez tecto sem o c, eu nem sequer estava a perceber que raio de palavra era aquela. Eu lia têto. As mudanças são necessárias, mas têm de ser pensadas ;)

    Vânia: foi o que me aconteceu... :(

    Avogi: eu bem que não queria... mas pronto. Mas também só o farei por motivos profissionais.

    Batata frita: a única coisa que eu podia fazer, para além de resistir, era assinar a petição contra isto. E isso já fiz. A ver vamos *

    ResponderEliminar
  13. Deviam ter dado o Nobel à Margarida Rebelo Pinto.

    ResponderEliminar
  14. Aqui pelos meus lados vai uma verdadeira anarquia: numa palavras utilizo e noutras não. Quem me ler deve mesmo pensar que eu não sei ler.

    ResponderEliminar
  15. Aflito: lol não sei, nunca li nada dela

    Ana FVP: ahahah isto vai ser um pouco confuso nos próximos tempos... vai vai!

    ResponderEliminar
  16. Odeio o novo acordo ortográfico. Se os outros não passaram a escrever como nós porque é que nós temos de escrever como eles?
    Só idiotas é que têm estas ideias.

    ResponderEliminar
  17. Karina, parece que me "arrancam o coração", mas lá terá que ser, verdade? ;)

    ResponderEliminar
  18. Pois, eu este semestre em Comunicação também vai ter que ser :s não há como fugir!

    ResponderEliminar
  19. Soraia: porque somos sempre nós a ter de baixar as calcinhas. Enfim, tristeza!

    Turista: mas era tãooo evitável! bahh

    Susi: pois, felizmente quando tirei o curso nem sequer se falava no assunto... fala-se agora! :P

    ResponderEliminar

Gambuzinem