quarta-feira, setembro 28, 2011

O pânico

Eu não sou a típica rapariga que sempre sonhou em vir a ser mãe. Sempre pensei mais em investir num relacionamento sério, trabalhar numa área que gostasse e em viajar. E, sinceramente, nem sou pessoa de achar grande piada a crianças. São muitas giras, dizem sempre a verdade, umas malandras, umas traquinas, e o mundo é delas. Mas é enquanto forem as dos outros. Até porque nem sei bem o que conversar com elas, tenho uma maior facilidade em comunicar com cães e gatos. Mas lá está, uma pessoa nunca sabe e poderá ser que daqui a uns anos eu acorde com uma bomba biológica dentro de mim prestes a explodir e não descanse até ter uma pequena aldeia para alimentar.

Uma das coisas que me fazem mais confusão nesta aventura que é a maternidade, é todo o processo da gravidez. Acho horrível todas as alterações físicas, hormonais, psicológicas. Não gosto da ideia de olhar para os pés e não os conseguir ver. Passar de hipersensível a odores para hiper-mega-supersensível. Ver o corpo a inchar que nem um foie gras, começar a esguichar leite, a não ter posição para dormir, etc, etc, etc. E o pior de tudo: o parto, principalmente naqueles casos em que não se tratam de crianças pequenas mas antes pequenos monstros a pesarem mais de 4kg, com melancias em vez de cabeças, a rasgarem tudo o que aparece à frente como se um escorrega do AquaShow se tratasse...Sempre que oiço estas histórias fico, no mínimo, com uma expressão facial semelhante à Lady Betty Grafstein a saltar de pára-quedas.

Pois eu acredito que depois de se pegar na criança que tudo valha muito apena, mas visto de fora mais parece um filme de terror do Stephen King.

14 comentários:

  1. De certa forma percebo-te. Isto é concordo com a primeira parte do teu texto, não acho especial graça a crianças, não me vejo com filhos nos próximos anos, não é um sonho, pelo menos para já, ser mãe. Mas se calhar um dia destes acordo e o relógio biológico começa a bater e pronto. Não me assusta a ideia das transformações na gravidez, não é esse o principal motivo de não querer ter filhos, mas não me vejo como mãe tão cedo...

    ResponderEliminar
  2. nem toda a gente nasce para ser mãe. e acho que as mulheres que não querem ter filhos, que não os tenham mesmo, porque nunca irão ser boas mães e as crianças serão infelizes.

    (só não percebo essa foto que colocaste aí...)

    bjs*

    ResponderEliminar
  3. Sílvia: a mim faz-me muita confusão a parte física. Chamem-me fútil (que até nem o sou), mas é algo que me assusta bastante.

    Alix: claro, e até há muita mulher que gosta de crianças e lida bem com crianças, mas simplesmente não nasceu para ser mãe. Se eu nasci para ser mãe? Não sei. Eu sei que agora não quero ter filhos, mas não sei se um dia mais tarde passarei a querer.

    A foto: achei-a tão rídicula, tão pavorosa, tão parva, que não resisti... shame on me! shame on me!

    ResponderEliminar
  4. Adorei a tua expressão " Até porque nem sei bem o que conversar com elas, tenho uma maior facilidade em comunicar com cães e gatos." vejo-me exactamente assim, não acho grande piada a crianças ou melhor ao facto de cuidar delas e aquelas coisas que tudo nelas envolve. Mas já me imagino a viver com 5 cães À minha volta e ficava extremamente feliz!

    ResponderEliminar
  5. Karina,

    Não poderias ter verbalizado melhor aquilo que eu acho de ter filhos... Nunca pensei que tivessemos tanto em comum, como temos... interessante... ehehehe

    Na verdade, sou como tu, entendo-me melhor com os animais do que com as crianças... não tenho grande afinidade com elas nem deixo de ter... não me despertam interesse... já os animais são outros 5 tostões... aliás eu sei que a minha missão na Terra está ligada a eles... só ainda não percebi de que forma... ;)

    ResponderEliminar
  6. D e Helenis: como vos compreendo, tão, mas tão bem!

    ResponderEliminar
  7. Gostava de ser mãe daqui a muito anos mas o parto assusta-me a sério :/

    ResponderEliminar
  8. Querida Karina, eu nunca fui mãe por opção própria. No entanto nada do que mencionas me amedrontou ou causou impressão. Pelo contrário, acho que deve ser uma sensação maravilhosa, ter um ser a crescer dentro de nós.
    Talvez ainda não seja a altura própria para pensares neste assunto. Tudo tem o seu tempo. :)

    ResponderEliminar
  9. ui como te compreendo, sinto exactamente o mesmo, e o que me irrita mais é aquela pressão social de quem vive junto ou está casado, do: "então e filhos".

    Enfim como costumo dizr, neste momento sou demasiado egoista para abdicar do meu tempo livre para fazer o que bem quiser, de dormir ate as tantas, de poder sair quando bem me der na telha, por causa de uma criança.

    e prefiro manter-me assim, do que ter um filho agora e vir a olhar para ele com um sentimento de: estragaste-me a vida. As crianças não pedem para nascer, logo tem de ser uma decisão responsável. Acho que ninguem está realmente preparado para ter filhos, mas tem que haver uma predisposição para abdicares de certas coisas, e neste momento eu não a tenho:-)

    ResponderEliminar
  10. Soraia: sinceramente, gostava de um dia vir a querer ter filhos... mas agora não ;)

    Turista: sempre me assustei bastante com todas as alterações físicas que ocorrem durante a gravidez... devia ter nascido homem ahahahahah :P

    Vânia: compreendo-te muito bem! Também costumo dizer isso: ainda sou muito egoísta para pensar sequer em ter filhos. E nunca seria boa mãe se não estivesse pronta para abdicar da boa vidinha que tenho... ***

    ResponderEliminar
  11. Olha eu sou das tuas... não penso em ser mãe (é claro que tenho a familia toda a olhar para im como se de um bicho raro se tratasse!).

    Acho que no fundo sou egoísta, porque gosto da minha vida/liberdade. E sinceramente ainda não senti o apelo da maternidade. Adoro crianças, mas sou daquelas pessoas que, quando começam a dar trabalho as entrega logo á mãe! :/

    ResponderEliminar
  12. Este comentário é geral e não precisas de forma alguma aceita-lo a menos que queiras.

    eu mudei o link do meu blogue apesar de ser o mesmo e como é claro, o blogue ainda não é totalmente avançado, acho que mesmo continuando a seguir-me deixam de ver as actualizações da lista de leitura... por isto vim aqui pedir aos meus seguidores (os mais activos na blogosféra) que me adicionem à vossa lista de leitura.

    o link do blogue agora é
    http://entrechavenasdecha.blogspot.com

    anteriormente era (s2shinobu.blogspot.com)

    se poderem fazer isso agradecia!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Lisbo@: isto vai parecer mau mas eu vejo uma criança e penso: "hummm... giro... tão querida..."; vejo um cão "anda cá lindo! Ohhh és tão lindo! Tão fofo! quero um igual! Dois! Uma vivenda com uma data de cães e gatos! Gosto tanto de ti!"...

    Daniela: vou já tratar disso! ;)

    ResponderEliminar
  14. não deixes para muito tarde, porque é tão giro tu gozares a juventude deles, a alegria, toda aquela energia que eles têm (que te transmitem e que nos exigem) com a tua melhor "Performance" física. Gozas ao máximo

    Ponto de vista de uma mãe, de uma amiga com uns aninhos a mais que tu (muito poucos).

    Beijinhos
    Suely

    ResponderEliminar

Gambuzinem