domingo, outubro 30, 2011

Eu e Gambuzino no carro, a caminho de casa

- Pensava que aquele cinema era como no centro comercial P.- digo eu.
- Não me lembro, já lá não vou desde a Lista de Schindler. - diz ele - por isso vê lá... em que ano é que é que isso deve ter sido?!
- 1993 - respondo eu, de imediato. Passados 5 segundos - Mas como é que eu sei estas coisas?

sábado, outubro 29, 2011

Duhhhhhh

Ía eu no autocarro quando oiço duas jovens com os seus 15 anos a conversarem:

- Sabes, vi no Youtube um vídeo da Cátia, da Casa dos Segredos... tão burra!
- O que é que ela disse?
- Opah, tipo, sabes, veio a voz e perguntou-lhe se ela sabia algum país dos Estados... 'pera... da... sim sim, dos Estados Unidos!
- E o que é que ela respondeu?
- Opah... disse África!
- Duhhhhh, África é um continente. Não pode estar dentro dos Estados Unidos, que é outro continente!


Afinal há muita Cátiazinha por aí...

sexta-feira, outubro 28, 2011

Depois de uma semana assim-assim

o merecido fim-de-semana. Prolongado, que bem mereço. 


























Bom fim-de-semana a todos!*


Foi o pânico, o terror, o drama...

uma manhã inteira sem internet aqui no estaminé.

quinta-feira, outubro 27, 2011

Que desilusão que é

entrar na loja, ver ao longe aquele par de botinhas que se viu online e que tanto se comentou "ai que lindas, ai que maravilhosas", chegar perto delas e torcer o nariz. Pior, ainda assim, experimentá-las e pensar "mas c'a raio... são horríveis!".

quarta-feira, outubro 26, 2011

É um cafézinho

aqui para o 2º andar. É que chovem gatos e cães.

Anda tudo louco

Mal começam a cair as primeiras chuvas, parece que toda a gente fica possuída por algum espírito maléfico da condução. Se já é "normal" ver-se com cada manobra mais escabrosa em dias de sol e com o pavimento seco, agora que está tudo molhado e a visibilidade é menor, é ainda pior. Grandes velocidades, ultrapassagens desvairadas, distâncias suficientemente grandes para caber um tomate cherry entre dois carros, pessoas a atirarem-se para as passadeiras sem verem se vêm carros... Uma beleza.

Ainda hoje, a caminho do trabalho, um chico-esperto lembrou-se de se enfiar à nossa frente por um buraquinho ínfimo, sem fazer "pisca" e sem sequer pensar que, àquela distância, se fosse necessário travar não teria espaço nem tempo para tal.

Contínuo sem entender como é que temos tanta falta de civismo nas estradas portuguesas. Por muito que digam "não andem depressa, são as primeiras chuvas, as estradas são manteigas", as pessoas teimam em continuar com estes comportamentos psicopáticos a conduzir. Não custa assim tanto ser-se prudente.

terça-feira, outubro 25, 2011

Agora que tirei o aparelho esmifrador dentário

quero ver se arranjo um baton vermelho, de preferência sem que fique a parecer uma prostituta.

Sobre o Outono, frio, chuva e vento

Não gosto.

segunda-feira, outubro 24, 2011

So much to do...

... and so little time.

domingo, outubro 23, 2011

É oficial

agora que o Outono se lembrou de nos presentear com a sua graça, começa a temporada do cheiro a naftalina.

sexta-feira, outubro 21, 2011

"Andas numa fase mais dark"


Disse-me o gambuzino, sobre as músicas que ando a ouvir. A verdade é que em termos musicais, nunca fugi muito deste registo dark, mais rocker, mais pesado. Mas, pensando bem, ando mesmo numa fase dark. Ando chateada. Aborrecida. Revoltada. 


Ando assim porque vejo um país a afundar-se à minha frente sem as garantias de que, mesmo depois de tanto sacrifício e corte, volte ao sítio. E isto é difícil: eu, tal como uma boa parte da população portuguesa, não sou responsável, directa e indirectamente pela crise - quando digo indirectamente é porque nunca votei naquele "senhor"-cujo-nome-não-deve-ser-pronunciado. Obviamente que a culpa não é exclusiva dele, mas foi quem acabou por dar o pontapé final. 

É ainda mais difícil porque sou eu que estou, tal como tantas outras pessoas, literalmente a pagar a factura pela crise. É difícil porque me coloca naquela situação complicada de começar a considerar severamente em deixar família e amigos para "trás" e emigrar. Sim, é verdade que sempre tive vontade de me aventurar além fronteiras, mas neste momento quase que sinto uma "obrigação" para tal feito, o que torna este tipo de decisão muito mais pesada. Uma coisa é dizer "Bem, recebi uma proposta para ir para a Conchichina, vou ver no que isto dá!", outra é "Tenho de arranjar alguma coisa noutro sítio antes que seja tarde demais". Felizmente tenho uma família que, em caso de desgraça monetária, me apoiaria, no entanto não gostaria de viver com esse fardo. Sou uma pessoa adulta que tem de fazer pela vida. Felizmente tenho emprego na minha área de formação, sou paga a horas, e gosto daquilo que faço - disso não me posso queixar - mas paira uma nuvem demasiado escura que não me deixa estar totalmente descansada.

A juntar a isto, há certas e determinadas pessoas que eu tenho de aturar que só mereciam era que lhes cortassem os pulsos com folhas de papel. Pessoas sem educação, que pensam que têm sempre razão, que têm o rei na barriga, sem escrúpulos. Pessoas para as quais eu não tenho a mínima paciência. Gentinha ignóbil, deprezível.

É... ando dark...



FYI*

*for your information



E para começar bem o dia

um corte de papel no dedo. Mesmo na dobra. Tão bom!

quinta-feira, outubro 20, 2011

A mala de uma senhora é uma instituição!

Lembram-se deste post? A Catarina leu-o e desafiou-me a mostrar o que eu costumo trazer dentro da mala. Então aqui vai!


























- Livro que estou de momento a ler
- Carteira
- Porta-moedas
- Pequeno moleskine
- Estojo com lapiseira, caneta e pen

- Caixa de óculos de ver
- Caixa de óculos de sol
- 2 telemóveis
- Pastilhas elásticas
- 2 papéis de cheiro, da Perfumes&Companhia que andavam perdidos dentro da mala
- 1 bilhete de autocarro da Carris

- 1 bolsa com o ipod, phones, pecinha da nike que liga ao ipod quando vou correr e o inalador
- creme para as mãos
- chaves
- lenços
- caixa para pôr o aparelho dentário de contenção

Ainda tenho numa gaveta no trabalho outras duas bolsas - uma com escova e pasta de dentes, fio dentário, escovilhão, etc etc - e outra com outras coisas (material feminino).

That's all folks!

quarta-feira, outubro 19, 2011

Sacanas!

Marcaram o último concerto da tour em NYC e não passam por cá entretanto...
Snif...

A melhor maneira de convencer alguém

do quer que seja, é essa pessoa pensar que teve a ideia.

É que é tiro e queda!

terça-feira, outubro 18, 2011

Pés

Não gosto do frio e não há nada a fazer em relação a isso. Dizem - as más línguas - que é bom ficar em casa, a beber cházinho, a ver televisão, comer bolachinhas húngaras - por acaso até já marchavam - à frente da lareira (que no meu caso não existe). Mas eu não gosto nada disso. Gostar, até gosto, mas é de forma isolada e quando eu quero, não só porque está frio e chuva e vento e o melhor é ficar em casa para ninguém se constipar.

Para além de ser uma pessoa muito mais infeliz e depressiva com mau tempo, um dos motivos deste meu ódio de estimação é o facto de eu ser friorenta. Não, friorenta não. Muito friorenta, terrivelmente friorenta. Um cubo de gelo. Sou daquelas pessoas que gosta do tempo quente e que na praia, quando surge aquela brisa fresca que agrada toda gente, insurge-se e diz "Opah, está frio!".

Com isto tudo, quem acaba por sofrer mais são os meus pés - pés frios, coração quente! Em pleno inverno, não aguentam vivos se não tiverem bem agasalhados, que é como quem diz, 2 a 3 pares de meias calçadas. Por cima de collants. E com botas quentinhas.  E mesmo assim não é garantido que isto funcione - semelhante ao Orçamento de Estado deste ano.

Mas acredito piamente que com estes botins venha a gostar um pouco mais do frio. Pelo menos não custa anda tentar... e o meu aniversário está quase a chegar...

Procura-se

paciência. Muita paciência.

segunda-feira, outubro 17, 2011

Vamos lá falar de política

ou politiquices.

Eu compreendo que muitos cortes tenham de ser feitos. Somos um país pobre e ponto final. Temos tendência a pensar que o dinheiro cai do céu, e que nasce como a erva daninha, em qualquer lado. Mas infelizmente não é assim. Se há uns tempos se gastou aquilo que se tinha e aquilo que não se tinha, agora é preciso poupar o que se tem e o que não se tem.

Claro que é injusto retirarem os subsídios de natal e de férias, há muita gente a "depender" desses subsídios para pagar contas extras e não só. Independentemente disso, é injusto retirarem algo que nos pertence e para o qual trabalhámos. Mas vá, compreendo que tenham de ir buscar dinheiro a algum lado de forma a não nos afogarmos ainda mais.

Sobre aquela meia-hora de trabalho por dia: não é nada que já não esteja habituada e creio que qualquer pessoal minimamente profissional que goste de ver o seu trabalho bem feito, não se vá embora só porque chegou a hora de ir para casa. O facto de ser imposto é que já é outra história. Era como os livros que tinha de ler na escola: se fosse eu a escolhê-los, li-os de bom agrado, mas se fossem de leitura obrigatória, já o fazia contrariada - mesmo que mais tarde viesse a gostar do livro. Dizem a meia-hora imposta é para se produzir mais, mas eu cá acho que vai ser só para criar mais ronha no local de trabalho.

Isto só agora é que começou, meus amigos. Agora é que vamos realmente conhecer a crise. Mas eu até acredito que por vezes, de forma a se poder dar dois passos em frente, seja necessário dar, primeiro, um passo atrás.

Agora, de forma a isto resultar, não nos podem vir pedir só sacríficios. Eu faço-os, que remédio tenho eu. Mas também tenho de ter algum incentivo, alguma motivação. Neste momento, dizerem que isto é para nos tirar da crise não chega, até porque não se sabe se será o suficiente. Sem sequer falar na redução de deputados no parlamento, no corte de, não só nas regalias, mas igualmente do número de administradores públicos, no corte de subsídios de inserções sociais e afins, etc, etc, etc, uma grande motivação para mim seria ver as pessoas culpadas pelo país ter chegado a este ponto punidas com prisão - como fizeram na Islândia. É claro que não iria resolver a crise em si, mas pelo menos era feita alguma justiça.

Já agora, não queria deixar de falar das manifestações que têm havido. Concordo que se façam manifestações, para perceberem que as pessoas não estão a dormir, que as pessoas passam dificuldades, fome, frio. Acho bem que façam manifestações para que vejam bem a quem estão a pedir sacrifícios. Mas acho totalmente vergonhoso que se façam manifestações violentas como vieram a acontecer em várias cidades do mundo durante o fim-de-semana. É perder toda a razão que se possa ter, é descer ao nível das pessoas culpadas pela crise.

sexta-feira, outubro 14, 2011

A revelação

Já posso revelar o que hoje aconteceu.

Txuuuuuuuruuuuuuuuuuuuuuuuu - Rufar dos tambores - txuruuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Após dois (longos, longos, longos) anos, tirei o aparelho dos dentes!

Txarannnnnnn!

Goodbye my love, goodbyeeeeeeeeee

Adeus subsídios, adeusssssssssssss!

Visitas de estudo

Todos os dias era sempre a mesma coisa. Tinha que me levantar para ir para as aulas, mas o sono era rei e senhor da minha condição matinal. Todos os dias fazia uma fita para me levantar da cama. "Não quero, tenho sono, vou dormir só mais um minuto!". Nunca cheguei atrasada às aulas, mas era porque, no minuto em que punha os pés fora da cama, desatava numa correria.

Mas havia algo que mudava radicalmente esta rotina: a visita de estudo. Em dias de visita de estudo, acordava sempre uma ou duas horas antes, com a excitação de ir para o liró com os colegas todos da turma (ou do ano). Lá acordava toda contente, na expectativa de um dia bem passado fora da escola, repleto de brincadeiras, cantorias, com a mochila a abundar sandochas, batatas fritas, sumos, fatias de pizza - tudo para um picnic perfeito. 

Hoje de manhã parecia que era outra vez criança a acordar antes do tempo para ir para a visita de estudo. Só que não tenho nenhuma visita de estudo. Mas estou em pulgas para que chegue bem depressa o final da tarde. Ai se estou! 


quinta-feira, outubro 13, 2011

A todos que ficaram curiosos

com o post de ontem, vou revelar tudo...

Mas só amanhã à noite!

A modos que já tenho 3 casamentos marcados para o próximo ano

Desses três, vou ser madrinha de dois deles (sim, dois, é o que dá ser uma pessoa encantadora ahahahah). Como vai haver pouca gente em comum nesses três casamentos, e visto que a vida está cara, pretendo usar o mesmo vestido para as três ocasiões. Ontem vi este modelo e fiquei apaixonadíssima por ele.

Digno de uma madrinha! Óh se é! Pena ainda faltar um pouco, senão encomendava-o já imediatamente.























Asos

Hãããã?!

Óh santíssima ignorância... Isto é tão, mas tão triste...

quarta-feira, outubro 12, 2011

Tic-Tac Tic-Tac

Hoje o dia teima em não passar. Os minutos mais parecem horas. Óhhh diaxo!

Faltam 2 dias

Para quê? Depois mostro!

Qualquer dia

compro uma coisinha destas






















Se percebo alguma coisa de costura?! Nops, nicles, batatóides. Mas nunca é tarde demais para aprender.

terça-feira, outubro 11, 2011

Solucite

E não há nada que faça isto parar. C'um camandro!

Oh Gaga... in your face!

Brutalmente superior que a versão original - para mim, é claro.



Vou imprimir em grande e colar à porta do frigorífico, despensa e gavetas

segunda-feira, outubro 10, 2011

Jogos sem Fronteiras

Quando era miúda não perdia um único episódio dos Jogos sem Fronteiras. Mal acabava de jantar, agarrava-me à televisão à espera que começasse esse mítico programa televisivo apresentado por Eládio Clímaco. Aquilo é que era diversão para a família inteira! Lá em casa, toda a gente passava os serões de verão a torcer pela equipa portuguesa, a rir com a quedas, com os trambolhões, com as cambalhotas, com as idas à água. E sempre que os portugueses ganhavam, ficavamos muito orgulhosos pela prestação nacional!

Este fim-de-semana descobri um programa idêntico ao Jogos sem Fronteiras, mas bastante mais violento: Total Wipeout. Os concorrentes têm de ultrapassar uma série de obstáculos, e estão sempre a ir parar a água, parecendo autênticas personagens de desenhos animados. Mas já nem é por equipas, são participações individuais. No entanto, até que tem alguma piada. Nada a ver com a alegria que era passar o Verão a ver os JsF, mas sempre dá para lançar algumas gargalhadas.

sexta-feira, outubro 07, 2011

O que me sabia mesmo bem agora

Scones quentinhos, com manteiga e doce de pêssego ou de abóbora. E um cappucino. Com as amigas, numa esplanada a aproveitar os últimos dias de sol - dizem.

Sabia que nem ginjas!


O serviço telefónico da Segurança Social

Tive de telefonar à Segurança Social para efectuar umas quantas questões, numa tentativa desesperada de evitar ter de enfrentar a Loja do Cidadão ao sábado logo pela manhãzinha - e todas as consequências que isso acarreta como, por exemplo, o mau cheiro de dezenas de cidadãos que insistem em não fazer chap-chapzinho.

E não é que a minha alma ficou parva com a eficácia deste serviço telefónico da Segurança Social?! Há logo uma triagem inicial para sermos reencaminhados para o assunto a tratar. Mal premi a tecla necessária, fui logo atendida por uma senhora de voz cândida, que se identificou imediatamente e rematou com um "em que posso ajudar?!".

Coloquei todas as minhas questões e mais algumas que foram surgindo. Respondeu a todas, ainda fez uma sugestão e no final acabou com um "Disponha sempre!" muito simpático.

Sim senhora! Gostei!

Selo + Tag





A Sofia Carvalho do O Meu Eu Laranja ofereceu-me este selinho. Muito obrigada! Se ainda não conhecem este blog, recomendo vivamente! Ide, ide ver!

Regras do selinho:
  • Postar o selinho e o blog de quem indicou
  • Postar a TAG e responder
  • Indicar dez outros blogs e avisar ( serão os mesmos que vão receber a Tag)


TAG
O que eu mais gosto em mim?
O facto de ser uma pessoa bastante determinada. Não desisto nem baixo os braços por nada.

O que eu não gosto em mim?
Ser demasiado orgulhosa. 

Se eu ganhasse o Euro Milhões , eu...?
Viajava! 

Cite 10 coisas sem as quais não viveria:
Família, amigos, definitivamente. Sem música e livros seria uma pessoa mais infeliz. Sem sol então seria uma pessoa altamente depressiva. E não viveria - literalmente - sem comida, não só por uma questão de  sobrevivência, mas também porque adoro comer.

Qual o significado de BLOG pra mim?
Um escape. Onde escrevo o que me vai na alma, o que eu penso das coisas, das idiotices que passam pela minha cabeça. 

O que é beleza pra mim?
A beleza para mim é a dedicação com que nos entregamos a tudo o que fazemos. 

Frase que marcou minha vida:
"Soulmates dry your eye, because soulmates never die", Placebo

Agora os 10 indicados são:

quinta-feira, outubro 06, 2011

2 coisas a dizer

1. As cuecas estão caríssimas. Não fosse eu gostar tanto de andar "limpa e segura", começava a cortar nas cuecas.

2. Queroooooooooooo




Da Geox.

P.S.: falta um mês para o meu aniversário.... só a dizer...

Bad hair day

O meu cabelo está a atravessar uma fase menos boa da sua vida. Aquela fase em que anda à procura de se definir, numa incessante busca espiritual do seu eu. "Serei curto? Serei médio?", questiona-se ele.

Há dias melhores em que se sente bem. Vê-se ao espelho e gosta do que vê. Sente um amor-próprio infindável e o seu ego é do tamanho do mundo. Mas depois há outros dias menos bons em que o seu ego é do tamanho de um caroço de uma uva, partido ao meio e trincado por uma ratazana de esgoto. Nesses dias não se consegue ver ao espelho, a dor é demasiado insuportável. Nesses dias, só lhe apetece pegar numa tesourinha e dar um fim à sua vida enquanto ainda resta alguma dignidade.

Nos dias assim-assim, ele tem a noção de que é preciso ter paciência e não toma decisões precipitadas. Mas nos dias não, decide não considerar todas as opções, todos os prós e contras e vai a correr ao cabeleireiro onde o inevitável acontece: o corte. Mas não faz mal, ele não tem medo de mudanças, antes pelo contrário. Sabendo que se farta facilmente de estar sempre igual, prefere arriscar do que passar uma vida sempre com o mesmo corte, feitio e cor. O problema surge passadas umas semanas em que o cabelo deixa de ter aquele corte gracioso saído do cabeleireiro e começa a ficar incerto. Aí é que costumam surgir, outra vez, todas as dúvidas existenciais.

O meu cabelo está nessa fase, em que não sabe o que fazer. Deixa-se estar dando apenas um corte às pontas, ou voltar a fazer um corte daqueles mirabulásticos?!

Não! Grito-lhe eu! Tens de ser forte! Aguenta-te à bomboca! Cortas as pontinhas e vais crescer, forte e saudável.


Ahhh, mas a vontadinha de fazer um corte radical é mais que muita!

Steve Jobs 1955-2011

Um visionário que revolucionou o mundo tecnológico. Como designer, muito obrigada pelo espólio que deixaste no mundo do design.

RIP

quarta-feira, outubro 05, 2011

Bem, vou ali aproveitar o Verão...

ups... o Outono, o Outono!


























Bom feriado a todos! *

terça-feira, outubro 04, 2011

Dia do Animal

Sinceramente nunca achei piadinha nenhuma ao Dia Mundial disto, Dia Mundial daquilo, Dia Internacional d'acoloutro. Todos os dias são dias do Pai, da Mãe, dos Avós, da Criança. E o dia do Animal também deveria ser todos os santos dias. Porque por muito triste que seja, há pais que abandonam filhos, filhos que abandonam pais, avós esquecidos em lares e hospitais. Mas um bichinho de estimação - principalmente cães e até gatos - não abandona o seu dono. Está lá sempre, para o que der e vier.

E não é só não abandonar, é tratar bem. Dar carinho. Dar atenção. Se são uma prisão?! São. Se dão dores de cabeça? Sim, por vezes também dão. Mas são o melhor amigo que alguém pode ter, e o mínimo que podemos fazer por eles é dando amor todos os dias do ano sem excepção.

Se soubesse o que sei hoje

teria tirado férias em Outubro e não em Julho.


segunda-feira, outubro 03, 2011

Este fim-de-semana

depois de:

- compras;
- jantarada com os amigos;
- saída com os amigos;
- praia o dia todo de domingo em que a água estava mais quente que em qualquer outro dia a que eu fui este verão:

preciso de mais um fim-de-semana para descansar.