quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Olhos + computador-todo-o-santo-dia-e-mais-alguns-minutos-sempre-non-stop =

duas coisinhas muito mirradinhas que mais parece que se atiraram para uma poça cheia de lama (com uma proporção de 80% terra e 20% água, ou nha-nha mesmo), seguido por um pontapé violento dado por um tropa iraquiano, para irem a rebolar por uma rua de terra batida, sempre ali aos trambulhões até irem bater numa parede de pregos, onde ficam presas.

Depois do embate, aparece um pombo que começa a bicar nas coisinhas mirradinhas até que caem outra vez para o chão. Uma criança, que está a passar nesse preciso momento, repara nas coisinhas mirradinhas, agarra-as e começa a brincar com elas, como se bolas saltitonas se tratassem. O pai, que não acha piada nenhuma, atira as coisinhas mirradinhas para longe, até irem parar a uma oficina de carros.

A Dona Joaquina que tinha lá ido buscar o seu carro que tinha ficado a arranjar, ao ver as coisinhas mirradinhas, assusta-se com elas, pisando-as e começa a enxutá-las como estivesse a varrer as migalhas para baixo dos tapetes. O Senhor Anacleto, o dono da oficina, vendo a senhora tão incomodada com as coisinhas mirradinhas, pega nelas e mete-as no saco do lixo. Há noite, ao fechar a oficina, o Senhor Anacleto leva o saco do lixo onde se encontram as coisinhas mirradinhas e atira-o para o caixote de lixo da rua, que fica ao lado do caixote de lixo de rua do bar Heavy Metal. Às tantas, dois tipos lembram-se de andar à pancada ao lado dos caixotes do lixo, derrubando-os e deixando as coisinhas mirradinhas ao relento. Um dos tipo que anda com um frasquinho de sangue num fio que traz ao pescoço e que andou a ler demasiado a saga Crepusculo, acha piada às coisinhas mirradinhas leva-as para casa onde as põe dentro de um recipiente, no meio da cozinha.

No dia seguinte, a sua mãe que já vê mal e que se recusa a pôr os óculos, abre o frasco onde estão as coisinhas mirradinhas pensando que eram bocados de queijo mozzarela e coloca-as numa mistura de azeite, vinagre e malaguetas para ser servido como petisco no jantar de família dessa noite.

Hoje, os meus olhos estão assim.

4 comentários:

  1. A sério Karina, como é que não ganhas um prémio qualquer? Tens sempre estas histórias do arco da velha. Adoro!

    ResponderEliminar
  2. Ahahah, muito bom!
    Boa sorte com os olhicos mirradinhos!

    ResponderEliminar
  3. Esta tua descrição... bom demais!
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Ana: eheheh óh, também não percebo lolol estou a brincar! Muito obrigada pelo elogio (e que elogio!) beijinhos ***

    Ritinha: eheh obrigada! Hoje estão melhores, mas logo à noite devem voltar às coisinhas mirradinhas lol

    Tsuri: ahahah obrigada :D Beijito ***

    ResponderEliminar

Gambuzinem