segunda-feira, junho 11, 2012

Novidades fresquinhas para todos

Versão curta
Eu e o Gambuzino vamos fazer parte das estatísticas de jovens emigrantes. A bem dizer, o Gambuzino já faz parte...

Versão longa
No final do ano passado, o Gambuzino recebeu um convite para ir trabalhar para Dublin, na Irlanda. Fomos lá no início de Janeiro para conhecer a cidade (lembram-se?) e para ficarmos a conhecer melhor as condições de trabalho. Gostámos logo da cidade e das pessoas, que são incrivelmente simpáticas.

Pensámos bastante no assunto, obviamente que estas decisões não podem ser tomadas de ânimo leve. Por um lado, um emprego em que ele iria fazer aquilo que mais gosta, iria ter novos desafios professionais e motivação financeira. Por outro lado, deixaríamos cá a nossa família e amigos. De um lado um país que se revela cada vez mais instável, cada vez mais duro e brutal. Do outro lado, um país que também está a atravessar uma fase menos boa a nível económico mas com perspectivas e condições muito diferentes das vividas em Portugal. Por aqui, bom tempo. Por lá, um clima pelo qual eu não sentia empatia nenhuma.

Mas o que estava realmente a pesar na balança, era o facto de nos afastarmos da família, principalmente dos nossos pais e irmãos, e das minhas queridas amiga P. e C, que são para mim como duas irmãs para mim. Apesar disto tudo, apesar de custar a todos, recebemos o apoio das pessoas, ouvimos o que tinham para dizer, escutámos os vários prós e contras de emigrar. Os meus pais já foram emigrantes e eles bem sabem o quão difícil pode ser.

Tendo tudo isto em conta, decidimos abraçar esta nova aventura. O Gambuzino partiu em Março, e eu fiquei aqui por uma questão de segurança. As coisas podiam correr muito bem, como podiam correr mal. Se corressem bem, eu iria ter com ele. Se não corressem pelo melhor, ele voltaria e eu continuaria aqui no meu emprego.

Durante este tempo, temo-nos encontrado ora cá ora lá, mas não tem sido fácil. Apesar de agora termos estas novas tecnologias como telemóveis e skype, não é a mesma coisa que chegar a casa e podermos receber um abracinho ou de nos aconchegarmos quando vamos para a cama. As saudades são mais que muitas e sempre que estamos juntos e temos que nos separar mais uma vez, é como arrancar as asas a uma borboleta. Por outro lado, eu ainda não fui e já sinto saudades dos meus que por aqui vão ficar.
A vantagem é que a Irlanda não fica do outro lado do mundo, são apenas duas horas e pouco de avião e com alguma antecedência, conseguem-se arranjar preços fofinhos. E, queremos nós acreditar, é um passo que pode consolidar o nosso futuro.

E pronto, são estas as novidades!

20 comentários:

  1. Bem sei o que custa!
    No meu caso, fui com ele e aqui tivemos a nossa primeira filha que quase ninguém da familia conhece pessoalmente.
    A distância é dolorosa mas espero que o futuro agradeça.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Força Gambuzina, nunca emigrei mas tenho amigos que já o fizerem e claro que custa, mas acho sinceramente que é o melhor que se pode fazer para poder viver uma vida sossegada, infelizmente.

    Fora, se vais para melhor força!
    Ah mas não te esqueças dos teus seguidores, queremos noticias aqui no estaminé, quer estejas em Portugal ou na Irlanda :D

    ResponderEliminar
  3. Eu já conto dois anos fora do país e estou a adorar, embora como dizem os teus pais não seja fácil.
    E claro acho que a experiência é diferente para todos e no meu caso que não sou nada chegada à família essa parte não tem custado em nada.
    Por vezes tenho é saudades de ouvir falar português, principalmente porque aqui somos mesmo os únicos.
    Mas olha eu acho que nem que seja pela experiência devemos sempre experimentar nem que seja 6 meses ou 1 ano :)
    Beijinhos e boa sorte :*

    ResponderEliminar
  4. Boa sorte! Tudo de bom para esta nova aventura. :)

    ResponderEliminar
  5. Ohhhh =( Bem, mas fachabôr de continuar a dar noticias!! E muito boa sorte :D A ver se qualquer dia serei eu a dizer "Adeus Portugal".
    :D

    ResponderEliminar
  6. Boa sorte!! Percebo o que dizes relativamente a ponderar a família que fica para trás...eu e o Homem Mais Sortudo do Planeta temos evitado pensar nessa questão, mas por este andar dentro de um ano ou dois, existem questões profissionais que o impedem ainda de sair...se calhar vamos ter de ser nós! E a questão que mais pesa é a família, os nossos pais já estão a ficar com alguma idade.Espero que se o tivermos que fazer que seja para perto..afinal ir de avião até a Irlanda, França ou Inglaterra ainda demoro menos tempo do que as 4h que levo ao fim de semana para visitar os meus pais!! Muito boa sorte!!

    ResponderEliminar
  7. eu acho que fazem muito bem! Uma boa oportunidade! Há que agarrá-la!

    ResponderEliminar
  8. Tenhos muitos dos que amo emigrados. Um dia arrancaram-me as asas quando o meu primo passou a ser emigrante, e ainda hoje doi cada despedida. Beijinho grande e muita, muita sorte

    ResponderEliminar
  9. Boa sorte, para a nova vida.
    Tenho pessoas conhecidas na Irlanda e acredita o clima não é mesmo, grande coisa. Mas com amor e energias positivas tudo se ultrapassa, até mesmo as saudades de quem ficou.
    Pudesse eu, tivesse oportunidade e também emigrava. :))

    ResponderEliminar
  10. Muita coragem nessa nova etapa! vais ver que vai tudo correr bem ;)

    ResponderEliminar
  11. Vai compensar, vais ver! Como se vê, este país está cada vez mais instável (eu que o diga, desempregada á qse um ano). As saudades matam-se via messenger e skype, ok não é a mesma coisa - mas é uma optima oportunidade e voçês são uns corajosos em agarrá-la! :)

    ResponderEliminar
  12. Só vos posso desejar muita sorte :) Temos de procurar a nossa felicidade / estabilidade, e se a vossa está noutro país, força :)

    Espero que tudo vos corra muito bem :)

    Beijinho, querida.

    ResponderEliminar
  13. Boa sorte então. Há que arriscar. :)

    ResponderEliminar
  14. Bem, arrasaste comigo. Não deve ter sido fácil suportar estes últimos tempos e admiro a tua coragem e determinação. És uma Mulher com garra e isso já sabia.
    Honestamente, e se têm melhores oportunidade fora acho que fazem muito bem em arriscar. Sei do que falas relativamente a abandonar a família pois também sou muito apegada, mas sabes... o esforço ser-te-á compensado e depois não faltarão oportunidades de matar todas as saudades e de se visitarem.
    Eu cá só espero que não abandones o blogue porque me fazes falta e desejo, do fundo do meu "Cu da São"(salvo seja) que sejam muito, muito felizes. Mereces minha Karinita!
    Um grande beijoooooo

    ResponderEliminar
  15. Silvana Santos: ainda por cima somos bastante apegados à família... mas é assim a vida! Beijinhos***

    D: obrigada! :D e claro, nunca me esquecerei de vocês, isto é para continuar! ;)

    Miss Desastre: pois, nós somos muito chegados à família, mas é para o nosso futuro que estamos a fazer isto... beijinhos***

    Miss Pipeta: muito obrigada! :D

    ádescávir: ahahah claro, depois vou contando as nossas aventuras por lá :D

    Maria Pitufa: e há a internet e telemóveis... não é a mesma coisa, mas sempre dá para ir mantendo o contacto :)

    Fashionista: e a vida não está para desperdiçar oportunidades! eheheh beijinhos, obrigada***

    Coquinhas: pois, eu imagino como isso seja... vamos lá ver como corre! Beijinhos***

    Maria: ahahah ya, eu já lá fui 3 vezes este ano e aquilo é um pouco agreste... mas pronto, pelo menos não vou para o iraque aaahaha :P

    cereja: obrigada querida!*

    Cacau: é verdade, isto está cada vez pior, e o primeiro passo - tomar a decisão - era o mais difícil. Agora é continuar com esta força de vontade de querer o melhor para o futuro! obrigada***

    Ana: querida, muito muito obrigada!****

    Ana FVP: eheheheh poisé! :D

    luisa: e quem não arrisca, não petisca! :D

    Tsuri: não estou a exagerar quando digo que ao ler o teu comentário fiquei com as lágrimazitas no canto do olho... Obrigada querida! E o blog é para continuar, podes ter a certeza :D

    Cátia: obrigada! :D ***

    ResponderEliminar
  16. Vai correr tudo bem, assim espero! Por aqui isto não anda famoso e para quem tem alternativas, dou força :)

    ResponderEliminar
  17. Querida Karina, desejo-te a maior sorte e força do mundo. Sei o que é ter de integrar a lista de emigrantes e que não é coisa fácil. Infelizmente, estou a passar por isso na pele e nem consigo dizer muito mais porque é demasiado doloroso para mim.
    Mas contigo vai correr tudo bem! Muita força!

    ResponderEliminar
  18. .Carmen: obrigada! :D

    Ana: obrigada querida! Para ti também, muita força*****

    ResponderEliminar

Gambuzinem