sexta-feira, julho 20, 2012

À minha Jaquina Maurícia

Amanhã casa-se uma amiga minha, por quem eu sinto um enorme carinho. Conhecemo-nos na faculdade: fomos colegas no primeiro mas foi só no ano seguinte que, à conta do laboratório de fotografia e do tempo que tinhamos de estar à espera das nossas fotografias pinhole que começámos a conversar mais e assim descobrimos a nossa paixão mútua (vá, vício) por séries. Passado pouco tempo, já falávamos de tudo um pouco: televisão, cinema, música, arte, da nossa vida dentro e fora da faculdade.

Apesar de não sermos do mesmo curso, tínhamos disciplinas teóricas em comum, e ajudávamo-nos uma à outra com os apontamentos. Muitos cafés nós tomámos ora nos Armazéns do Chiado, ora num Restaurante/Café na Calçada do Sacramento. Quando acabámos o curso, apesar de termos arranjado emprego relativamente perto uma da outra, por vezes passavam-se semanas e semanas e semanas sem conseguirmos estar uma com a outra. Mas sempre que íamos almoçar ou beber apenas um café, era uma alegria e tínhamos sempre um montão de novidades para contar uma à outra.

Eu gosto mesmo muito da minha Jaquina Maurícia (é impossível não se gostar dela!): ela não só é das raparigas mais giras que eu conheço, como é inteligente, culta, artística, trabalhadora e incrivelmente divertida, e por tudo isto e mais alguma coisa, merece tudo de melhor.

Jaquina Maurícia, meu amor: desejo-te do fundo do meu coração as maiores felicidades!
E agora, um brinde aos noivos!

2 comentários:

Gambuzinem