quinta-feira, agosto 23, 2012

Ó Margarida, que drogas andaste tu a tomar?

"Ora acontece que a Gordinha é geralmente gorda e sem formas, tornando-se aos olhos masculinos pouco apetecível, a não ser em noites longas regadas a mais de sete vodkas, nas quais o desespero comanda o sistema hormonal, transformando qualquer bisonte numa mulher sexy, mesmo que seja uma peixeira com bigode do Mercado da Ribeira", Margarida Rebelo Pinto in Sol.

Sinceramente, apetece-me dizer tantas coisas sobre isto que nem sei bem por onde começar. Por isso, acho que vou deixar de parte todos aqueles clichés de que há mulheres bonitas quer sejam gordas ou magras, que conheço magras que são umas senhoras e gordas que são umas malucas e vice-versa. Até poderia dizer que me sinto altamente escandalizada com esta crónica porque eu já fui Gordinha, mas que preferia voltar a ser Gordinha do que uma imbecil como a xôdona Margarida.

Mas como eu sou uma rapariga bem disposta e preocupada com os outros, vou apenas deixar um conselho à xôdona Margarida: vá comer, mulher! Vá comer que a sua anorexia já está num estado tão avançado que os seus dois únicos neurónios não conseguem fazer sinapse. Andam ali, um à volta do outro, tal como as estrelas de neutrões que andam aos pares e aos rodopios, e quando finalmente colidem uma com a outra, destroem tudo ao seu redor, que é como quem diz, só fazem merda.

18 comentários:

  1. Adorei, adorei, adorei... adorei o que escreveste! Uma resposta à altura ;)

    ResponderEliminar
  2. Essa "bacana" não merece resposta.

    ResponderEliminar
  3. assino por baixo do teu post :) muito bem 'dizido'

    ResponderEliminar
  4. Olha que ela põe-tumprocessemcima. lool

    ResponderEliminar
  5. Olha, eu ainda não tinha lido nada desse tal artigo, nem li nunca um livro da dita senhora, mas uma coisa te digo, preferia ser uma manada de bisontes do que ser parva como ela.

    ResponderEliminar
  6. Essa senhora que se diz escritora (eu chamar-lhe-ia plagiadora) é uma criatura infeliz e mal amada, com problemas em assumir a idade e com a mania que é chique e jet set... Adiante!
    Karina (sem acento :D ), muitos parabéns pelo seu blogue, adoro!
    Beijinho
    Rita

    ResponderEliminar
  7. Eu da primeira vez que li essa crónica (sim, que aquilo é de uma parvoíce de tão alta qualidade que não resisti à tentação de ler mais que uma vez) pensei logo "alguma gordinha deve ter roubado o namorado à Margaridinha...". Deve ser uma frustrada, só isso explica tamanha crueldade numa só crónica.

    ResponderEliminar
  8. ahaha gostei mesmo do teu comentário :)
    Quanto a esse texto, uma idiotice pegada, a mulher é uma despedaçada do pior.

    ResponderEliminar
  9. essa mulher mete nojo, fonix! Que anormal! Ela escreve uma crónica qualquer na Flash ou uma revista do género (que costuma haver no café onde eu vou à hora de almoço!) então a senhora escreve sobre homens, é deprimente ler aquilo, só o fiz uma vez e porque não reparei quem era a autora, mas quando acabei de ler pensei "quem escreveu esta merda?!?" quando vi não me admirei, obviamente!

    ResponderEliminar
  10. Cá para mim foi encornada por alguma gordinha! ahahahah

    ResponderEliminar
  11. Xiii... É um mundo injusto... A tua resposta devia ser publicada no Sol.

    Divinal!

    ResponderEliminar
  12. Ora, ai está um bom conselho para a Xôdona Margarida, realmente essa mulher já mete nojo.

    ResponderEliminar
  13. Li ontem, o artigo dela no sol, absolutamente rídiculo,uma tristeza. Mas vindo da "escritora light" que ela se diz ser, já nada me admira. Uma vez, há muito tempo atrás, comecei a ler um livro dela, e tive de parar, porque aquilo é uma vergonha, uma tragédia.

    ResponderEliminar
  14. Não suporto nem essa mulher nem esse texto estúpido.

    ResponderEliminar
  15. Eu nunca fui muito com a cara dela, não sei porquê, e depois disto - e de ler outras crónicas dela - acho-a triste, mas tão triste... coitada... quase que sinto pena dela...

    ResponderEliminar
  16. Já tinha lido essa crónica quando ela saiu e não achei lá muito normal mas tinha esperança que a mulher tivesse mudado ao fim de dois anos, mas não. Na entrevista que deu à pouco tempo num canal televisivo a senhora continua parvinha, nem consegui ver aquilo até ao fim!

    ResponderEliminar

Gambuzinem