terça-feira, outubro 16, 2012

Eu sou contra a violência

Não é com pancadaria que chegamos a lado algum. Não é a atirar bombas que se consegue paz. Não podem estar à espera que uma pessoa esmurre outra e esta última fique parada à espera de mais tareia.

Mas confesso que não fico muito admirada quando leio que começam a haver manifestações mais violentas à frente do Parlamento - apesar de não aprovar. As pessoas estão desesperadas, e o desespero leva a que se tomem atitudes que, de outra forma, nunca seriam tomadas.

Mas o que é que estão à espera? Que aumentem os impostos, que cortem no salário, que digam "a vossa vida nestes próximos tempos vai ser ainda mais miserável do que tem sido até agora!!!" e que as pessoas batam palmas, dêem beijinhos e palmadinhas nas costas, enquanto uns pulam de alegria e outros baixam as calças, mostram o rabinho e digam: "com mais força, que ainda não doeu muito"?

13 comentários:

  1. Eu estou aterrada de medo Karinita, aterrada. Em Novembro o Tsuripo está no desemprego...
    credo! Quando é que isto muda?
    beijo grande e minha querida, agarra-te aí! Desejo-te toda a sorte do mundo

    ResponderEliminar
  2. Este país está de mal a pior e as pessoas já estão cansadas de não fazerem nada, por isso surge a violência! Também não sou a favor da violência, mas as pessoas chegam a um ponto que não sabem mais o que fazer!

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente contigo. E depois de ter sido forcado a sair do pais, nao porque estaria a passar por dificuldades, mas por querer ver o meu esforco recompensado de forma monetaria, sim porque ninguem trabalha para aquecer.
    Sim, custa estar longe da familia e dos amigos, no entanto, iremos compensar a distancia de outras formas. A decisao foi uma decisao ponderada e cada vez menos me arrependo de a termos tomado. Agora que me custa ver familia e amigos passar por mais dificuldades, sem culpa nenhuma, isso custa-me muito, ainda para mais os culpados sairem ilesos.
    Agora outra coisa, esperar de bracos cruzados que as coisas mudem, nao. Facam pela vida. Ao menos poderao dizer que fizeram tudo o que estava ao alcance para ter uma vida melhor.

    Cumprimentos,
    Pedro

    ResponderEliminar
  4. Bem verdade! É que quando o desespero entra em cena é o emocional sobre o racional. As pessoas agem por instinto para se safarem, não pensam nas consequências!

    ResponderEliminar
  5. Também não sou pela violência porque assim não afectam quem deviam porque esses estão rodeados de seguranças, mas era a favor do povo se unir todo contra os politicos, exigir que sejam apurados os verdadeiros culpados desta crise, sem cairmos em guerras civis.

    Bjokas

    ResponderEliminar
  6. Neste momento, já coloco a possibilidade de, no fim do meu curso, ir para fora. E há mesmo muita gente a pensar como eu...

    ResponderEliminar
  7. E acerca da nudez o que achaste? Houve nudez à porta do parlamento :p

    Agora a sério, o pior é que a violência não leva mesmo a lado nenhum, numa das manifestações recentes, houve jornalistas que foram agredidos por parte de manifestantes, sem querer deduzo eu, e foram parar ao hospital.

    Eu posso não me surpreender e até compreender que as manifestações fiquem mais violentas mas isso não passa a significar que concorde com a violência como modo de resolver as coisas.

    Enfim, opiniões.

    Kiss kiss

    ResponderEliminar
  8. Tsuri: agora fiquei com o coração apertadinho, Tsurinha! Espero que o Tsuripo consiga arranjar trabalho rapidamente! Não desanimem, muita força querida****

    Jovem $0nhador@: é verdade. É um facto que em tempos de crise, o crime aumenta.

    Pedro: eu sei. Não foi nem tem sido fácil, mas quando o nosso país nos manda embora, não há muitas alternativas...

    Jude: é que é mesmo isso :(

    Noa: as pessoas também não aguentam muito mais :(

    *C*inderela: concordo plenamente contigo!

    ádescávir: isto está a chegar a um ponto... :(

    Carolina: eu já saí...

    Poppy: eu também não concordo, fui sempre e sou contra qualquer forma de violência. Mas é sabido que em tempos de crise, o crime aumenta. E deviam pensar um pouco nisso...

    ResponderEliminar
  9. Concordo contigo. Também por um lado acho que a violência não deveria existir, mas por outro lado acho que enquanto não existirem actos mais violentos de protesto eles "os políticos" vão continuar a abusar do povo Português o tal de "brandos costumes", está na hora de mostrar-mos que estamos de facto descontentes e se só assim eles entendem o descontentamento do povo, então que seja assim.

    ResponderEliminar
  10. • w: obrigada :)

    Maria: e é uma pena quando as coisas chegam a esse ponto. Mesmo assim, não sou a favor, não se resolve nada - antes pelo contrário - mas o racional nessas alturas não funciona a 100%...

    ResponderEliminar

Gambuzinem