quinta-feira, janeiro 24, 2013

Coisas desta terra...#4

Eu sou uma pessoa que, insatisfeita com o quer que seja, reclama. Não sou pessoa de baixar os braços e muito menos de calar a boca. Se sou mal atendida nalgum lado, reclamo. Se são mal educados comigo, reclamo. Se adiro e pago algum serviço após prometerem mundos e fundos e a coisa sai muito mal parida, lá vou eu reclamar.

Não quero que fiquem a pensar que eu reclamo por tudo e por nada. Gosto de pensar de mim como uma pessoa justa, e que se tão depressa estou a reclamar por algo mal feito, também é com uma velocidade ultra-sónica que me ponho a elogiar aquilo que merece ser elogiado. No entanto, tendo em conta que os meus paizinhos fizeram aquilo que eu chamo de "obra-prima-no-que-diz-respeito-à educação" e fizeram de mim (e dos meus irmãos) pessoas adultas bem formadas e bem educadas, o mínimo que eu espero quando vou a algum lado é que sejam bem educados comigo.

Bem sei que para quem está a trabalhar ao público nem sempre é fácil ter de lidar com certos clientes e que todos nós temos direito a maus dias, mas também não peço grandes sorrisos (até porque dispenso bem sorrisos amarelos que transpiram "comissão! comissão! comissão" por todos os lados) mas um bom dia/boa tarde/boa noite e um obrigado/a são sempre bem vistos. Não digo que tenha de ser atendida logo imediatamente quando vou a um restaurante/café/bar/whatever, mas esperar 30 minutos para que me venham trazer um simples menu à mesa enquanto vejo os funcionários parados na converseta é coisinha para me tirar do sério (da última vez que isto aconteceu, só não peguei nas trouxas e fui embora porque, para além da fome ser negra, também não havia nada mais onde pudesse ir almoçar. E, claro está, no fim reclamei). Também não acho muita piada quando entro numa loja e tenho 7 cães para um osso atrás de mim e quando eu finalmente preciso de ajuda ou opinião sobre alguma coisa, sinto-me a) que nem um lata numa carreira de tiro; b) que sou um ser desprezível que deve ser punida com o desprezo completo para toda a eternidade; c) que estou a dar demasiado trabalho e quase me vejo na iminência de dizer "Desculpe lá a trabalheira!".

Mas aqui, na terra da chuva e dos trevos, mesmo que um serviço falhe, há (pelo menos quase) sempre uma cara simpática a dar-nos razão e tenta, ao menos, remediar a situação. Quer nas lojas quer nos restaurantes, o cliente é bem tratado, com um sorriso genuíno e com palavras de boa educação, como manda a etiqueta. Aqui, vou à loja reclamar porque certo produto já vinha estragado e não me fazem perguntas ou duvidam que fosse eu a culpada. Perguntam-me logo se eu quero o dinheiro de volta ou trocar por outra coisa. Sempre com um sorriso nos lábios. E isto é uma das coisas de que gosto bastante cá: o cliente é rei.



12 comentários:

  1. Eu sou como tu... Bem educada sempre, mas reclamo quando tenho razão! Sei que as pessoas que trabalham a servir estão muitas vezes cansadas, mas é o trabalho delas e só lhes fica bem servirem bem os clientes, para que estes queiram lá voltar!
    O que mais me irrita mesmo é quando os empregados respondem mal aos clientes! Tira-me do sério!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer! Dá-me logo vontade de pedir o livro de reclamações! Beijinhos*

      Eliminar
  2. Fazes muito bem em ser assim, as pessoas tem que ser bem atendidas seja em que serviço for! ainda bem que aí tratam bem os clientes =)

    ResponderEliminar
  3. Eu à Irlanda nunca fui, mas quando fui a Inglaterra também fui sempre bem atendida!! Sempre bem educados!!

    ResponderEliminar
  4. Pois mas acredito q a sociedade em si tb seja "correcta"..ou seja,o tuga mtas vezes e chicco esperto.Ja vi,num restaurante,uma mulher a tirar cabelos e por na comida..msm no fim e dizer q nao pagava!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é verdade o que dizes, o português é muito chico-espero! Bem, essa mulher... que nojo!!!!

      Eliminar
  5. bem vinda á civilização, uma pessoa saí de portugal e até estranha!

    ResponderEliminar

Gambuzinem