segunda-feira, janeiro 14, 2013

" (...) a vida do humano mais asqueroso vale mais do que a vida do animal doméstico de que mais gostamos."

Diz Daniel Oliveira, numa crónica por si escrita sobre o cão Zico em que defende que se mande abater o pobre bicho.

Eu até poderia ser um pouco suspeita por ser contra o abate do cão, uma vez que sou a acérrima defensora dos direitos dos animais. Mas na verdade, sou contra porque as pessoas que decidiram meter este cão numa casa com uma criança tão pequena sabiam perfeitamente que aquele era um cão de raça perigosa. Para mim, quem devia ser punido não deveria ser o cão, mas sim quem tomou a decisão de ficar com ele.

Em relação à crónica: respeito a opinião dele apesar de não concordar com os motivos por ele explicados. O que me tirou realmente do sério foi a frase que eu coloquei no título, o que me leva a crer que este senhor não vale sequer o que uma carraça imunda possa valer. Porque o humano, racional, consciente dos seus actos, consegue ser mais mortal, maléfico e perigoso para qualquer animal ou ser vivo que muitos cães perigosos.

15 comentários:

  1. Esse idiota merecia a infestação de pulgas que eu tenho em casa. Mas a dobrar.

    ResponderEliminar
  2. Para mim, a história está muitooo mal contada, lembra-me o Caso Maddie.

    Se não tinham condições para ter o cão, porque o tinham??? E não me venham com tretas, não há raças perigosas, há donos perigosos!

    Eu convivi com um pitbull, nunca mostrou o mais pequeno sinal de agressividade, e não me falta nenhum pedaço!

    Quanto à opinião do senhor jornalista... não merece sequer comentários!

    ResponderEliminar
  3. Pois eu acho que a opinião dele é tão válida como outra qualquer. Não é a minha, que acho que a morte do cão em nada resolve, não traz de volta a criança. Mas não podemos usar o mesmo tipo de raciocínio para seres pensantes e seres que reagem a estímulos sem qualquer tipo de filtro. E sim, é científico, há raças mais agressivas que outras. Não é por acaso que não usam golden retrievers ou labradores como cães de guarda, porque são naturalmente mais amistosos que os pitbull ou os rottweilers.

    ResponderEliminar
  4. nem quero acreditar que esse sr foi capaz de escrever isso...
    em relação ao animal a culpa não é dele mas sim dos donos

    Boa semana gambuzina :)

    ResponderEliminar
  5. Lamento, mas eu concordo com a crónica. Acho que a frase é realmente bastante forte e não deveria ser tirada do contexto, mas no limite e perante a lei e o direito é a mais pura das verdades. Por pior que possa soar e ferir sensibilidades. E o abate do animal, ao contrário do que algumas pessoas dizem, pode sim resolver algum problema. Evitar que o mesmo aconteça a outra criança que sem querer caia em cima do cão.
    Quanto aos pais, na minha opinião também deviam ser appuradas as suas responsabilidades.

    ResponderEliminar
  6. Tal como tu também acho que a responsabilidade deveria recair sobre os donos e não sobre o cão. Afinal somos nós os animais racionais que sabem prefeitamente a que podem conduzir os seus actos.
    Concordo inteiramente com o teu post.


    bjs

    ResponderEliminar
  7. E eu concordo a 100% contigo. O humano é sempre mais perigoso do que qualquer cão de raça perigosa.

    ResponderEliminar
  8. já tinha visto isso noutro blog, essa mesma frase. E tens toda a razão, não concordo em nada com o senhor, pois o que não falta aí são pessoas que deviam ser abatidas!!

    ResponderEliminar
  9. Não concordo que se abata o animal, contudo acho que devia ir para outro ambiente. Há realmente raças mais perigosas que outras e nem sempre tem a ver com a educação que os donos lhes dão, é certo que afecta, mas nõ é tudo. Um primo meu teve um dobermen, o cão era a coisa mais doce do mundo, contudo quem não conhecia o cão, tinha medo dele e o cão não fazia mal a ninguém. Porém quando a minha prima bebé nasceu o cão tornou.se agressivo para a miúda porque tinha ciumes dela, e era mesmo só com ela! São animais que é preciso ter muito cuidado, porque mesmo com uma boa educação, os animais são irracionais e não medem a força que têm, e os azares acontecem!

    ResponderEliminar
  10. Adorei tudo.... e eu que pensava na minha futura cozinha em preto e vermelh tenho para mim que branco e vermelho tambem sera muito bem :D

    ResponderEliminar
  11. O comentário era para o post da decração eheh :x

    ResponderEliminar
  12. Grande personalidade tem este senhor ... no programa das cinco para a meia noite retirou a palavra asqueroso e modificou o sentido da frase tentando limpar a sua Atitude tirando a asqueroso. Pena ter conseguido porque felizmente nem todos pensam com ele.

    ResponderEliminar
  13. ádescávir: isso é que era!

    GATA: eu acho que há raças perigosas, mas também depende muito da educação que se dê. Eu também acho esta história toda ela muito estranha...

    Ovelha Flor Guerreira: Que a opinião dele é válida, é. Vir dizer o que ele disse sobre as pessoas mais asquerosas valem mais que um animal, não. Só mostra que não tem respeito nenhum por outros animais. E eu também concordo contigo, há raças mais agressivas que outras, mas sabendo que aquele cão era perigoso, porque é que ficaram com ele? Nisso, o cão não teve culpa.

    Palco do tempo: eu concordo contigo :)

    Miss Pipeta: Bem, se vamos por aí, acho que também devíamos começar a abater pedófilos, violadores, assassinos... para evitar futuras vítimas...

    Maria: Exactamente!

    A Bomboca Mais Gostosa: é que não haja dúvidas disso...

    Ritinha: Eu concordo contigo em tudo. Não nos podemos esquecer que são animais, tem outro tipo de instintos. E é por isso que, como seres racionais que somos, temos de ter a capacidade de discernimento: ora, há uma criança pequena, não vou ficar com um cão perigoso!

    Coquinhas: ahahah a minha cozinha por acaso é branquinha :P

    anabela: eu já não gostava muito dele, depois disto, nem vê-lo à frente!

    ResponderEliminar
  14. Repeti essa frase devagar depois de a ouvir... para ver talvez se fazia algum sentido!... diga-mos que "é nojento!"

    ResponderEliminar
  15. ana para os 2 lados: nojento é pouco! sei lá... repugnante? Não, também é pouco... mentecapto? nãããã... ignóbil? Está visto, nem há palavra para descrever!

    ResponderEliminar

Gambuzinem