quinta-feira, fevereiro 28, 2013

What a Great Day!

Mais umas horinhas e volto ao aeroporto de Dublin buscar uma das minhas melhores amigas, que vem conhecer a cidade e, claro, visitar-nos.

Ando é a ficar mal habituada. Isto tem sido, em média, uma visita por mês. Nada mau! No mês em que não tiver visitas, acho que vou amuar durante esse mês inteiro.

quarta-feira, fevereiro 27, 2013

Coisas desta terra...#5

Comendo em casa, sai caro limpar as beiças. Isto porque os guardanapos de papel são uma pequena fortuna. Quase mais vale limpar às mangas da camisola. Vale-nos o rolo de cozinha, ou para bocas mais sensíveis, o papel higiénico.


terça-feira, fevereiro 26, 2013

O que me estava mesmo a apetecer para mais logo...

Hoje a minha disposição anda no limbo, entre a apatia e a neura. Digo eu que é do tempo, que hoje lembrou-se de ficar feio, cinzento, e mais frio e húmido que ontem. E para estes dias, só me apetece é enfardar junk confort food. Ir ao McDonald's e pedir um wrap vegetariano, batatas fritas, ketchup, maionesa, coca-cola e, quem sabe, uma tarde de maçã. Ou um sundae de caramelo...

Faz mal ao corpo, mas de vez em quando até que faz bem à mente.
E depois tenho sonhos em que peso 380 Kg...

"Como ficar com o olho dorido em 5 rápidos passos" ou "Coisas que só a mim acontecem"

1. Sentir frio no nariz;
2. Puxar a gola alta da camisola para cima, com o objectivo a tapar o nariz:
3. Puxar a gola mais alto do que seria suposto/necessário;
4. Deixar a gola escorregar dos dedos;
5. Levar com a gola, em alta velocidade, em cima do olho.

Done. Ouch!

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

Oscars 2013: eu

Hoje fui sonhar que ía assistir ao vivo aos Oscars deste ano. Com direito a passadeira vermelha, a vestido bonitinho, penteado, maquilhagem e a tudo a que tivesse direito. Uma pena era, no meu sonho, pesar uns 380 quilos e ter um rabo a tudo muito semelhante a uma taça gigante de gelatina.

Talvez isto seja uma chamada de atenção para deixar de emborcar chocolate quente com marshmallows e scones à fartazana...



Oscars 2013: sobre as vestimentas

No geral, muito fraquinho.

Secção "Não odiei, mas..."

Amy Adams // Teoricamente, a ideia é engraçada. Mas na prática já é outra coisa... E com aquele sorriso parecia que estava a dizer "Batatinhas com Ketchup!"

Jennifer Lawrence // Vestido Noiva amarrotado... nehh...


Secção "Masoquéisto?"
Nicole Kidman // No comments

Daryl Hannah na versão "Árvore da Vida"

Kelly Rowlland // "Ups, a minha mama quer-me fugir..."

Kristen "Sonsa" Stewart 

Helena Bonham Carter // Nem foi dos piores vestidos que já levou a uma entrega de prémios, mas aquele ninho de ratos cabelo...

Secção "Morno"
Reese Witherspoon

Jennifer Aniston // Pode ser da luz, mas o vestido parece um pouco plástico.

Helen Hunt // O vestido era da H&M. Tumbas! Qual Armani Privé, qual Dior! Podia era tê-lo passado a ferro...

Secção "Tu estás lá, miúda!"

Naomi Watts // Num estilo futurista, mas que lhe fica bem como tudo

Stacy Qualquer-Coisa/Namorada do Clooney // "És toda bouaaaaa!"

Halle Berry // É diferente, gosto. E gosto do penteado.

Secção "Elááh, quando for grande quero ser como tu!"

Jessica Chastain // Hollywood Glamour, acho-a maravilhosa!

É a Sandra Bullock, num vestido preto, da colecção Elie Saab. Tenho dito.

Charlize Theron // Para mim, a melhor de todas. Simples elegante, maravilhosa. Também, pudera, a mulher é um autêntico avião. 

Oscars 2013: sobre os vencedores

Apesar de não discordar com os vencedores desta edição dos Oscars 2013, achei demasiado previsível, pelo menos nas categorias principais.

Durante esta época de prémios cinematográficos, Argo tem ganho quase tudo que tem para ganhar, portanto, era mais que visto que também iria ganhar o Oscar para Melhor Filme. Também não estava a ver outro vencedor que não o Daniel Day-Lewis, um dos grandes senhores do cinema, ainda por cima a representar uma das personagens mais importantes da história Norte-Americana. Em relação a Jennifer Lawrence, com os seus 23 anos, também já se estava mesmo a ver que iria ganhar o Oscar de Melhor Actriz Principal uma vez que meio mundo tem vindo a dizer que o seu papel em Silver Linings Playbook é o papel da sua carreira, apesar da sua tenra idade. Como Melhor Actor Secundário, também já esperava que fosse o Christoph Waltz o vencedor, uma vez que é dos papéis secundários mais fortes e mais presentes em relação aos outros adversários. E, apesar de não ter visto o filme Les Miserábles, vários apontavam Anne Hathaway como a grande vencedora da estatueta de Melhor Actriz Secundária.

Pessoalmente, não me importava de ter visto Life of Pi como Melhor Filme, o Joaquin Phoenix como Melhor Actor e a Jessica Chastain como Melhor Actriz. Mas isso sou eu.

domingo, fevereiro 24, 2013

Homer knows it all

Domingo, o dia do grande ócio!

O resto de um bom fim-de-semana para todos*

sábado, fevereiro 23, 2013

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Viagens de sonho... #9

Welcome to Miami!

25 Dias, 25 Músicas // Dia 25

Dia 25 - Uma música que posso ouvir todo o dia que nunca me canso

30 Seconds to Mars - The Kill
Verdade, verdadinha: é que eu nunca me canso de ouvir qualquer música que seja dos 30 Seconds to Mars, principalmente esta música em especial.




quinta-feira, fevereiro 21, 2013

Querido chá,

a situação é a seguinte: ando outra vez com insónias. Eu vou para a cama cansada, cheia de sono, com os olhos pesados e a cabeça a latejar enquanto berra por cama, mas não consigo adormecer. Leio o livro a ver se entretanto a fada do sono aparece com a sua varinha mágica que me faz fechar os olhos para só abri-los horas mais tarde, numa nova manhã, e nada. Continuo de pestana aberta. Meia aberta, é verdade, mas aberta.

Viro-me para um lado, viro-me para o outro. Ponho-me de barriga para baixo, mas farto-me rapidamente e acabo por ficar sempre de barriga para cima, que é como gosto mais de estar. E, de luzes desligadas, primeiro começo a pensar em lugares relaxantes, como fontes de água, mar, cascatas altas no meio da selva. Nada. Faço mais um ou outro exercício de relaxamento que me ensinaram. Nada. Começo a pensar em mil e uma coisas, como em países e capitais, em nomes por ordem alfabética, em cores diferentes, em marcas, em profissões. Basicamente, jogo sozinha durante horas ao Stop / Jogo das Palavras. Patético!

Por isso, hoje decidi trazer-te da loja, porque dizia na tua caixa que eras relaxante e o ideal para se beber antes de ir para a cama para boas noites de sono. Estou a contar contigo, percebes? Quero chegar à cama e não andar a navegar na maionese até às tantas da madrugada. Percebes? Got it? Sem pressões.

Love XO
Karina sem acento*




25 Dias, 25 Músicas // Dia 24

Uma música que já dancei com os meus melhores amigos

Nouvelle Vague - Dancing with myself
Fui vê-los ao vivo com a minha querida P. e com o Gambuzino (acima de tudo, é o meu melhor amigo, certo?, portanto, também conta para a estatística), e era impossível não dançarmos ao som desta música!


Aquele momento...

quando estás a acabar de tomar banho, e não queres sair porque estás a levar com a água quente em cima e sabes que estás prestes a enfrentar uma frente polar...

Nota mental: não panicar!

Talvez não devesse ficar tão esmagada, por assim dizer, com certos desafios a que me vou propondo. Penso para comigo "Não, não, não. Não vais panicar! Isto é normal. É assim que se aprende... Tu és Capaz".

E eu sei que sou, mas a confiança gosta de me virar as costas durante o tempo que bem lhe apetecer, sempre nas alturas em que mais preciso dela. É uma parva, não sabe ela o bem que me faz e deixa-me assim, a modos que desamparada, pelas ruas da amargura. E enquanto não volta e faz as pazes comigo (após um grande pedido desculpas de sua parte, pois claro!), ando pelos cantos a aturar-me a mim própria com estes ataquezinhos de ansiedade e pânico. E aturar-me, não é fácil. Nem eu às vezes tenho paciência para mim própria...


quarta-feira, fevereiro 20, 2013

25 Dias, 25 Músicas // Dia 23

Uma música que não passo sem ouvir

Pink - Try
Gosto muito da Pink, da sua música, das suas letras, da sua voz, da sua irreverência, do seu estilo, do facto de ser o Anti-Cristo das cantoras Pop. E ultimamente, é raro o dia que passe sem que eu oiça esta música.


Alguém me explique, se faz favor...

Quem é que no seu perfeito juízo se lembra de chamar o Miguel Relvas para discursar numa universidade?

É o mesmo que pôr um orangotango, só porque gosta de comer bananas, a discursar sobre caril tailandês de galinha, numa sala cheia de suricatas esfomeadas!


terça-feira, fevereiro 19, 2013

25 Dias, 25 Músicas // Dia 22

Uma música que alguém já cantou para mim

Delfins - A queda de um Anjo
É, Sr. Gambuzino gosta de me cantar músicas de bandas que eu não gosto só para me arreliar. E quanto mais eu não gostar, mais ele canta. Um amor, este meu Gambuzino.


Sapo com 158cm visto à solta em Dublin!

Eu bem disse que por vezes ficava verde...


Cócegas

Eu até sou uma pessoa de sorriso fácil. Não preciso de muito para sorrir: um bom livro, um bom filme, um serão com família e/ou amigos, uma anedota realmente cómica, uma boa refeição. Um dia de sol. Calor. Praia.

Mas cócegas é a antítese absoluta de alegria. É das piores coisas que me podem fazer. Eu não me rio, eu guincho. Eu não lanço gargalhadas sonoras enquanto peço, educadamente, para pararem. Eu berro, à bruta, para pararem imediatamente com aquela palhaçada sem piada nenhuma (só por acaso, também não gosto, nem nunca gostei de palhaços). Os meus olhos tornam-se em duas bolas cheias de veias enraivecidas. Torno-me, basicamente, numa Hulk - e sim, acho que até verde fico. E caso a pessoa em questão não pare de me fazer cócegas, o mais provável é que eu, num gesto "involuntário" acabe por lhe bater, com uma estalada, cotovelada, joelhada...

Cócegas não têm piada. São foleiras.


Algo de estranho se passa...

Ou o mundo está a acabar. Ou os deuses devem estar loucos. Ou o clima está mesmo taralhoco de todo.
Ou as minhas preces foram mesmo ouvidas (o que leva ao ponto anteriormente dito sobre os deuses estarem (mesmo, realmente, sem margem para dúvidas) loucos).

Apesar do frio que faz congelar o tutano, hoje já vamos no terceiro dia seguido de sol. Sem ponta de nuvens no céu, azul. Sol. Vou repetir: sol.

Brutal!


segunda-feira, fevereiro 18, 2013

25 Dias, 25 Músicas // Dia 21

A minha música preferida

Placebo - Without you I'm nothing
Pois, claro... tinha de ser dos Placebo!


St. Barts, óh St. Barts!

Uma ilha, nas Caraíbas, em que quase metade da população é portuguesa, e onde as temperaturas "não descem abaixo dos 27 graus".

Quero! Onde é que assino? Não me importo de passar o dia inteiro na praia a servir cocktails a turistas!


É oficial: sou uma insensível

Vi este segredo no Shiuuuu



e pensei: "Credo! Horas sem fazerem nada? Só a olharem um para o outro? Que seca!"
Abri a páginas dos comentários e 99% diz ser um segredo lindíssimo, que é só amor, e essas coisas bonitas. Revirei ainda mais os olhos.

Ok. Está visto. Sou uma insensível...

Bom dia!

O fim-de-semana foi bom? Recarregaram as baterias? Preparados para mais uma semana?

Sexta-feira passada e hoje voltei a ser atacada com insónias e, para ajudar à festa, um belo passarito lembrou-se de vir aqui para os arbustos que temos mesmo à frente da nossa janela do quarto dar um concerto, de madrugada. E eu, que até sou toda pelos direitos dos animais, que nem como carne e nem compro produtos que saiba à partida que fazem testes em animais, pus-me a pensar onde é que eu poderia arranjar, àquela hora da madrugada, uma caçadeira para dar cabo do canastro do bicho, tal o desespero. Mas às tantas, o pássaro foi meu amigo e calou o pio, e eu lá consegui adormecer.

Agora, ainda estou meio dormente, penso na minha bela cama, na minha bela almofada, nas horas que devo ao sono, mas não pode ser. Vamos lá em frente!

Um bom dia e uma excelente semana a todos!*


domingo, fevereiro 17, 2013

25 Dias, 25 Músicas // Dia 20

A última música da minha playlist (ordem alfabética)

Yann Tiersen - La Noyee
Da banda sonora do filme O Fabuloso Destino de Amélie, um dos meus filmes preferidos. Por acaso, era uma boa escolha para hoje à noite...



sábado, fevereiro 16, 2013

25 Dias, 25 Músicas // Dia 19

A primeira música da minha playlist (ordem alfabética)

30 Seconds to Mars - Anarchy in Tokyo


Há que aproveitar o bom tempo!

Estão 10º C lá fora, não está a chover e nós ainda dentro de casa? Vamo' mas'é lá passear!

Bom fim-de-semana***


sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Meteoro cai na Rússia

in Expresso.

Que falta de pontaria, era só uns quilómetros ao lado... na Assembleia da República Portuguesa...

25 Dias, 25 Músicas // Dia 18

Uma música que adoro, mas que raramente oiço

Florence + The Machine - Cosmic Love
Gosto muito desta música. A bem dizer, gosto muito da banda. Mas, vá-se lá saber o porquê, não tenho o hábito de os ouvir muito.

Facto #3

Sou uma fraca.

Eu, que nunca choro em filme algum, por muitas vezes que veja o Moulin Rouge, e por muito que eu tente contrariar o choro, não consigo deixar de derramar umas lágrimas. É axiomático: Moulin Rouge = choradeira.

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

25 Dias, 25 Músicas // Dia 17

Uma música que me faz dançar

A música nem é assim muito para o "dançável", mas que me dá vontade de me abanar à lá Thom Yorke, dá...

Sim, sim, é dia dos namorados...

Não é que eu não goste deste dia, que o despreze até ao fundo do meu ser e que deseje que todos os corações, bombons, rosas e afins que por hoje se transaccionam entre casais profundamente românticos e apaixonados, expludam numa nhanha nojenta, deixando tudo muito traumatizado e, consequentemente, faça crescer as consultas urgentes na ala de psiquiatria. Mas também não posso dizer que goste especialmente deste dia.

Na verdade, não ligo. É-me igual a nada. Talvez por não ser a típica menina romântica, que só vê filmes dramáticos e com grandes histórias de amor, só oiça Pablo Alborán, e que pense nos planos para este dia desde o Ano Novo. Digo eu que, provavelmente, isso se deva um pouco à minha infância a ouvir Van Halen e Queen com os meus irmãos e a brincar com os meus primos rapazes, aliás, à minha família praticamente toda ela feita de homens havendo, apenas, um número reduzido de população feminina que acaba por procriar ainda mais rapazes, e a uma vida inteira a ouvir falar de assuntos tipicamente masculinos, tais como mecânica, aviões, física e informática - apesar de não dominar nenhum destes assuntos.

No entanto, apesar de ser "anti-lamechices", também tenho o meu lado mais romântico. Tem é de ser uma coisa de cada vez. Bombons, flores, postalinho cheio de corações, restaurantes a abarrotar de gente  que não largam as mãos durante o jantar inteiro e o resto do serão a ouvir as molas do colchão do vizinho a esticarem e encolherem num frenesim diabólico, tudo junto no mesmo dia é que é demasiado para mim. Por isso é que não ligo a este dia. Prefiro passar ao lado.

Mas alguma vez na vida iria negar rever o Moulin Rouge no cinema, só porque vai ser transmitido no dia dos namorados, unicamente? Não podia, mesmo. Por isso, hoje vou ser super romântica e vou entrar na sala de cinema com o Gambuzino, de mãos dadas, para ver o Ewan McGregor o meu filme preferido de todo o sempre (e dos poucos do género de que realmente gosto).


quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Níveis alarmantes de transparência

Pois é, eu sempre tive um tom de pele bastante claro. Pálido mesmo. Numa das mil e quinhentas fotografias da viagem que fiz à Tunísia, uma delas, de uma praia, até poderia ser uma daquelas imagens tão comuns dos postais ou revistas turísticas, não fosse eu a aparecer na fotografia a estragar o cenário: famílias felizes a brincarem na areia, gente a nadar na água ou a andar de jetski, outros nas esteiras a lerem, todos eles com um tom de pele muito morena, e eu. A reparar que a areia da praia estava repleta de bosta de camelo e que nunca mais punha os pés na praia, e branca que nem cal, apesar de já ter tido feito, anteriormente, bastantes dias de praia.

No Algarve, por exemplo, e principalmente se for a andar com a minha mãe ao lado, também ela muito branquinha, loura e de olhos verdes, as pessoas falam connosco em inglês. "Do you want somewhere to eat? Come to Restaurant Paradise!". "Não, já jantámos, obrigada". Olhos muito esbugalhados com o meu português perfeito e um sorriso de soslaio.

Portanto, num país em que o sol aparece muito de vez em quando, eu já estava à espera de ficar ainda mais pálida. O que eu não estava a contar era, chegando ao nível máximo de palidez, começar a ficar transparente. É, é verdade. Pela primeira vez na vida consigo ver todas as veias das minhas mãos, e com bastante nitidez, até. Mas se isto for progredindo, ainda arranjo um grande negócio: em vez de uma pessoa pagar balúrdios para ver aquelas exposições do corpo humano, com uma data de orgãos  em formol dentro de frascos, eu começo a vender bilhetes mais baratos para poderem assistir à grande exposição da fêmea humana transparente, viva, em movimento e sem necessidade de formol. Hã, hã. É preciso é ter olho para o negócio.


25 Dias, 25 Músicas // Dia 16

Uma música que me faz chorar

Mafalda Veiga - qualquer "música"
É um ódiozinho que eu tenho. Não gosto nadinha, mas mesmo nada dela. Se tenho o azar de ter que gramar com isto e não ter sítio algo onde possa refugiar, só me apetece é chorar. Peço perdão a todos os fãs da Mafalda Veiga, mas nem pintada a ouro consigo simpatizar um pouco que seja com ela. Não sabe cantar e as músicas são sempre as mesmas, sendo que a única coisa que ainda vai variando são as letras - mas sempre na mesma base. A mulher é tão deprimente que só me apetece é cortar os pulsos com folhas de papel. Muito, muito choro.


A lei de Murphy aplicada aos transportes públicos

Independentemente do transporte público em causa, ou do sentido para onde se pretenda ir, está estipulado por lei que o veículo pelo qual se espera apareça primeiro sempre no sentido oposto ao pretendido.

terça-feira, fevereiro 12, 2013

Pena não dar para ver na totalidade, mas do que dá para ver, gosto mesmo mesmo muito.


Uma pessoa sabe que está a ficar senil quando #8

Mete sopa num prato raso...