terça-feira, março 12, 2013

Das amizades

Se por um lado eu sei perfeitamente que tenho um feitio algo complicado e que, como todas as pessoas, tenho defeitos, por outro lado sei reconhecer que tenho muito boas qualidades. Uma delas é o facto de ser a melhor amiga que alguém poderá ter. Não é para me gabar, mas eu dedico-me de alma e coração aos meus amigos. E não sou amiga só para algumas ocasiões, para aquelas que mais jeito poderão trazer, mas sim para todos e quaisquer momentos. Eu estou lá nos bons e nos maus momentos, eu estou lá para me rir às gargalhadas com situações mais caricatas, para sorrir e dar uma palavra de conforto nos momentos menos bons, para dar um abraço quando precisam de um mimo. E estou lá para chamar a atenção e "dar na cabeça". Porque isto é que é ser amigo, é estar presente e atento, é dar a opinião sincera e não aquilo que o outro está à espera de ouvir.

Como sei ser a amiga que dá toda a dedicação e empenho humanamente possível, tenho sido cada vez mais radical no que diz respeito às minhas amizades. De uns tempos para cá, fruto de várias facadas e desilusões que já levei anteriormente, tenho vindo cortar com aquelas "amizades" que só se lembram de mim quando precisam de algo, ou só para cravar jantar com a promessa de trazerem sobremesa, algo que já está a passar fora de prazo por ter ficado esquecido num canto escondido do armário.

Para mim não há diferença entre "amigos para os bons momentos", "amigos para os maus momentos", "amigos para a borga", "amigos para o cinema", "amigos para isto" ou "amigos para aquilo". Ou se é, para qualquer altura e situação, ou não se é. E quando não se é, quando muito, passa para a categoria de "conhecidos", em que a minha dedicação resume-se a ser minimamente simpática e educada. Não vou andar a perder tempo com pessoas que não sabem o verdadeiro significado da palavra amizade.


8 comentários:

  1. um amigo a sério está dentro desses acontecimentos todos :)

    ResponderEliminar
  2. Faço tuas as minhas palavras. Sinto exatamente o mesmo que tu e dedico-me exatamente da mesma forma aos amigos. Infelizmente não tenho tido a sorte de me cruzar com pessoas que tenham dado valor à amizade que lhes dei.

    ResponderEliminar
  3. Identifiquei-me imenso com este teu texto. Acontece que sou extrema mesmo, pois não perco tempo nem energia com quem não vale mesmo a pena.
    Para mim ou é ou não é e como sou objectiva e pratica resolvo tudo logo não ando a empatar.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Nem mais. Os amigos são para todas as ocasiões, não só quando precisam. Mas hoje em dia as pessoas andam mais preocupadas com elas mesmas que se esquecem dos outros!

    Bjokas.

    ResponderEliminar
  5. Hoje em dia é difícil encontrar uma amigo/a assim, as pessoas estão mais viradas para si próprias e não estão dispostas a dar-se dessa forma. Ainda bem que apesar das vidas de hoje, ainda há pessoas mesmo amigas. Eu também tive a sorte de encontrar alguns desses, não muitos, os mesmos há anos, mas alguns. Já os outros, estou como tu, é perda de tempo e não vale a pena investir. Bjs

    ResponderEliminar
  6. concordo contigo =) Ser amigo é ser sempre e não apenas quando nos apetece! Se és assim fazes muito bem em exigir que também o sejam contigo, se não não são amigos verdadeiros!

    ResponderEliminar
  7. E fazes tu muito bem. Ou são "verdadeiros" amigos ou são conhecidos no campo da amizade não deve existir um meio termo.

    bjs

    ResponderEliminar

Gambuzinem