terça-feira, abril 09, 2013

Até já...

Os dias de partida são sempre um misto entre alegria e uma grande tristeza. Se por um lado volto para o lado do meu gambuzino, por outro lado volto a deixar mais uma vez tudo para trás. A minha família, as minhas amigas, a minha cidade, a minha casa. Sempre que fecho a porta da minha casa e volto as costas com a mala atrás, não consigo fazê-lo sem deitar umas lágrimas. Quando me despeço das minhas amigas, faço-me de forte e sorrio, mas no fundo a última coisa que me apetece fazer nesse momento é sorrir. E quando me despeço dos meus pais no aeroporto, só me apetece é ir para debaixo das saias da minha mãe.

Sei, ao menos, que a 1648 Km está à minha espera alguém que me quer muito, o que me dá alento. Talvez um dia, esta rotina se torne banal e eu consiga encará-la de outra maneira. Mas por enquanto, não consigo. É o que dá ser tão apegada aos meus, e tão menina dos papás.

Mas isto é um até já. *


28 comentários:

  1. eu sou apegada aos meus pais...mas mais ao meu pai! Mas um dia que saia de casa, para uma minha, acho que vamos todos deitar mais do que uma lagriminha!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando saí de casa, foi uma coisa muito gradual e além do mais, vivo perto dos meus pais. Mas compreendo-te, é sempre um momento complicado... beijinhos*

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Obrigada :) A viagem correu bem, nem apanhei muita turbulência nem nada. O pior são as saudades... Beijinhos*

      Eliminar
  3. As partidas são sempre tristes, mas se pensares que em modo vôo de pássaro, estás pertíssimo deles, tudo fica mais leve;)
    E por outro lado, se não tivesses ninguém à tua espera, seria muito mais triste. O lado positivo da coisa, é que tens sempre novidades para contar e tens sempre pessoas que esperam por ti desejosos de te rever e sempre com vontade de te abraçar bem forte! Boa viagem e até breve :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, eu bem sei disso. De avião, é mais rápido (e com alguma antecedência, mais barato) do que ir de carro a Viseu, por exemplo... mas é sempre diferente. Beijo grande e obrigada*

      Eliminar
  4. Percebo-te, comigo é exactamente igual, fico sempre tristonha quando me vou embora, ainda para mais não tendo ninguém à minha espera no destino...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui, imagino, para ti então deve ser realmente complicado! Força***

      Eliminar
  5. Deve custar horrores, bem entendo!
    Força, Karinita!
    Boa viagem!
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Custa sim, não é nada fácil.... mas é a vida! Beijo grande e obrigada Tsurinha***

      Eliminar
  6. Aproveita :) Há sempre uma janela que se abre.

    ResponderEliminar
  7. Acredito mesmo o que custa... Imagino se chegar a minha vez de passar por isso =S

    Beijocas e força

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca pensei que fosse assim tão difícil, mas uma pessoa tem de aguentar! Beijo grande***

      Eliminar
  8. é difícil, imagino que deve custar tanto, mas é como dizes, pode ser que com o tempo comece a ser diferente... boa viagem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero bem que sim, qualquer dia não tenho lágrimas! Beijo grande e obrigada*

      Eliminar
  9. Calculo, que também sou apegada aos meus.

    Boa viagem.

    ResponderEliminar
  10. Deve ser muito complicado...mas pensa que há sempre alguém muito feliz há tua espera! Bom regresso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, e também sei que quando volto a Portugal também tenho pessoas muito importantes para mim à minha espera :) Beijinhos***

      Eliminar
  11. Pois, despedidas são sempre um aperto no coração!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um aperto no coração, um nó na garganta, o estômago mirradinho... Mas é a vida! Beijinhos*

      Eliminar

Gambuzinem