segunda-feira, setembro 02, 2013

Nada de piropos!

Há uns dias li algures que agora querem, de forma a proteger os direitos das mulheres, que o piropo seja considerado assédio sexual por ser uma ofensa e uma forma de machismo. Quando vi isto, não consegui deixar de mandar uma gargalhada sonora (deixei sair, até, um ronco). Não há assunto mais interessante para levarem à Assembleia, não?, pensei para comigo. Mas depois de reflectir mais um pouco sobre este assunto, até que consigo perceber melhor a senhora deputada que quer levar isto avante. Vejamos: eu acho que há piropos e piropos. Há aqueles que, realmente, podem ser ofensas devido ao seu carácter malicioso e ofensivo mas também há o caso em que, apesar de nenhuma de nós mulheres confessar publicamente, um piropo, dito na hora certa, no sítio certo e da meneira certa, pode fazer maravilhas ao nosso ego. E é aqui que eu penso existir o grande problema: talvez a senhora deputada que quer ver o piropo tornar-se oficialmente num escroque malfeitor da sociedade, nunca deve ter passado por um prédio em obras em que alguém dissesse, carinhosamente "ó estrela, queres cometa?", estando ruída de inveja das mulheres que, por sua vez, passam a vida a ouvir "deve ter doído quando caíste do céu, meu anjo!"

Além disto, depois há aqueles piropos bem brejeiros e ofensivos ditos por... mulheres a homens. Eu já ouvi senhoras a "piroparem" de tal maneira que conseguiriam deixar Zezé Camarinha envergonhado com tal linguagem tão, vá, de baixa de classe.
Mas isto já não pode ser considerado machismo, é dito por mulheres. Mas pela mesma ordem de ideias, não poderá considerado assédio sexual?


10 comentários:

  1. Acho que esta história dos piropos e toda a discussão à volta, um bocado desnecessária, até porque se o piropo for um elogio de um desconhecido, até se gosta...Se for uma ordinarice ou um assédio, já estará previsto na Lei. Acho mesmo que há assuntos mais importante para a deputada do BE discutir...e a associação que fazem dos piropos ao sexismo é um tudo ou nada exagerada!

    ResponderEliminar
  2. Agora já nem piropos há, já não há obras e pedreiros em Portugal :-) ) Não vejo qualquer utilidade na discussão do assunto a nível de Assembleia da República... enfim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL muito bom! Eu também não vejo a utilidade, só vão é perder tempo quando há outros assuntos bem mais importantes mas pronto...

      Eliminar
  3. Acho esta questão ridícula. Preocupem-se com coisas pertinentes e de interesse publico. Desde quando um piropo e isso que eles dizem???

    ResponderEliminar
  4. Eu acho que um piropo de quando em vez não faz mal a ninguém, se não foram daqueles mesmo brejeiros. Mas e daí, mesmo que a lei passe, há maneira de controlar isso? Vão colocar um polícia atrás de cada português? É como dizes, deviam pensar em coisas mais sérias. Um piropo nunca levou a uma violação, por isso é ridículo. Mas enfim, é o pais que temos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer, como é que iriam controlar isso? Ai ai ai!

      Eliminar
  5. Há piropos e piropos. Alguns de muito mau gosto, mas daí a fazer uma lei que os proiba, parece-me exagerado, até porque ninguém vai conseguir controlar quem anda ou não a dizer esses piropos.
    beijinho

    ResponderEliminar

Gambuzinem