terça-feira, janeiro 14, 2014

Falar faz bem


Apesar de ter a consciência que sou bastante tagarela em muitas ocasiões, também sei que sou demasiado reservada e calada com certos assuntos. Não que isso seja mau para aquilo que diz respeito da minha vida social, afinal de contas, não é isso que me vai prender em casa em vez de ir tomar um copo com os amigos. Mas reconheço que não falar, pura e simplesmente, dos meus sentimentos, das minhas emoções mais profundas, mais sentidas, mais vincadas, aquilo que me deixa preocupada, frustada ou desanimada, guardando tudo na minha cabeça, por vezes é mau para mim. Estrabuchar quando fico zangada/chateada/furiosa com algo, como quando alguém me passa à frente quando estou numa fila, é algo que faço com certa facilidade e destreza verbal, outra coisa completamente diferente é explicar que estou, e o porquê, em certos estados de alma. Para isso, não sou muito dada às palavras ditas. Engasgo-me, fico atrapalhada, não me sei expressar como deve ser. Sou muito mais dada às palavras escritas. Os meus dedos não têm  tanta "vergonha" de escrever aquilo que eu não sei e nem consigo traduzir para uma conversa falada.

Mas há uns dias falei. Falei aquilo que consegui dizer (pode não ter sido muito mas já foi qualquer coisa) e que, por norma, fica preso à garganta como um elevador que fica parado entre pisos. Desabafei com a minha mãe através do skype. Ao início, soou-me tudo mal, soou como se eu estivesse a dar a parte fraca por estar a dizer oralmente coisas que costumam ficar só para mim. Mas depois, já algum tempo passado após termos terminado a conversa, senti algum alívio. Afinal, desabafar faz mesmo bem, tira um peso dos ombros, da cabeça, e até da garganta. Não resolveu nada, por assim dizer, mas até que ajudou muito.

Não digo que comece a tagarelar para todos aquilo que costumo guardar para mim. Mas pelo menos já consegui perceber a potencialidade que falar, aquele falar vindo da alma, faz a uma pessoa. Já não é mau de todo.

13 comentários:

  1. Sou igual a ti! Não gosto de me expor e desabafar com alguém, na minha cabeça é estar a expor-me e evito ao máximo. Algo a mudar...

    ResponderEliminar
  2. Eu sou como tu. Escrevo mais do que falo, no que toca a sentimentos mais profundos. Mas há duas pessoas com quem não tenho medo de abrir o coração: o meu marido e uma amiga. Ás vezes há mais amigos que tentam puxar por mim e tal, mas eu simplesmente não consigo nem gosto de me expor dessa forma.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Falar faz mesmo muito bem. Tenho esse tipo de desabafos apenas com duas pessoas (um amiga, e a minha mãe), mas as conversas com elas são como terapia! O peso que sai dos ombros é enorme. Ainda bem que conseguiste desabafar :)

    ResponderEliminar
  4. somos parecidas nesse aspecto, aliás ainda no outro dia quando perguntei ao Miguel qual o meu maior defeito ele disse-me exactamente isso: És uma tagarela, és uma pessoa feeliz, que adora falar de tudo e ouvir todos, mas quando toca a falar do que realmente sentes, do que te doi és mais impenetrável que uma parede de betão. Quando ouvi isso deu-me um clique e percebi que ele tinha mesmooo razão.

    ResponderEliminar
  5. Falar faz maravilhas.
    Pode não alterar nada imediatamente, mas dá uma sensação de bem-estar, de alívio enorme!

    ResponderEliminar
  6. falar faz mui to bem à alma.. só temos de encontrar a pessoa certa..

    kisses***

    ResponderEliminar
  7. Sou tal e qual como tu. Tenho muita dificuldade em expressar os meus sentimentos e em desabafar as minhas coisas. E quando o faço é um alívio, mas nunca o faria com a minha mãe. Não tenho esse à vontade com ela para isso.
    beijinho

    ResponderEliminar
  8. Nisso sou tal e qual!
    E depois, quando finalmente desabafo... Sai o mundo de cima!
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  9. Também não desabafo facilmente. Escrever é mais fácil para mim (:

    ResponderEliminar
  10. falar por vezes não muda nada mas torna tudo mais leve :)

    ResponderEliminar
  11. Às vezes ajuda para arejar a mente e o coração!

    ResponderEliminar
  12. Comigo passa-se mais ou menos a mesma coisa. Mas falar faz mesmo muito bem e alivia, a questão está em saber escolher a pessoa com quem falamos para não termos chatices depois. :D

    ResponderEliminar
  13. No que toca a sentimentos, guardo tudo para mim, não sou muito boa a dizer por palavras aquilo que sinto.

    ResponderEliminar

Gambuzinem