terça-feira, janeiro 28, 2014

Uma franja comprida incomoda muita gente


Sr. Gambuzino, talvez influenciado pelos anúncios da Chanel com o Brad Pitt ("olha-me aquele cabelo... ele deve ter uns 50 anos e ainda tem aquele cabelo farto!", dizia-me ele sempre que passávamos por um desses anúncios), e pelo desgosto e frio que passou quando se lembrou de ter rapado o cabelo no inverno passado, tem andado a deixar crescer o cabelo.

E com isto, tem ocorrido um fenómeno interessante: para além de andarem todos à sua volta histéricos porque ele tem a franja quase a dar atrás da orelha, primeiro perguntam-lhe quando é que ele corta o cabelo, e de seguida perguntam-me a mim se eu não faço nada. Se não digo nada. Se admito isso. Se eu ainda consigo dormir ao lado do "gandulo" como já me perguntaram. Que lhe perguntem porque é que ele não corta o cabelo ainda é uma pergunta (mais ou menos) válida visto que deve causar alguma impressão na garganta o facto de nunca terem-no visto com o cabelo um pouco maior. Agora virem melgar a minha pessoa já é outro nível muito superior. A minha sogra chega ao ponto de dizer que eu é que tenho culpa. "Já devia tê-lo obrigado a ir cortar o cabelo!".

Pois bem: isto não é uma ditadura. Eu sei que para muita gente, a coisa só funciona à base do "eu digo, e tu só tens é de fazer", mas aqui não é bem assim. Principalmente quando se diz respeito ao cabelo. Ninguém precisa de chamar a atenção um ao outro para ir lavar o cabelo, que é o mais importante. Portanto, da mesma maneira que eu faço o que quero e bem entendo ao meu - e ele já passou por fases em que eu tive cortes de cabelo bem esquizofrénicos menos tradicionais, sem nunca me dizer nada -, com ele é a mesma coisa. Posso dar, como sou sempre, a minha sincera opinião mas se ele quiser o cabelo comprido, não vou ser eu impor o contrário.

8 comentários:

  1. Ahahah! Adoro! Por aqui eu digo de vez em quando ao T. "se calhar está na altura de ir cortar o cabelo", mas ele vai quando quer e lhe apetece! Ninguém impõe nada a ninguém... :P
    Assim como ele me dá a opinião de que gosta mais dos meus caracóis (se bem que ele não tem de os pentear todas as manhãs) e eu à vezes uso cabelo liso! Democracia acima de tudo! :D
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Ai pa, também não suporto esses comentários. Ainda por cima com coisas tão insignificantes como o cabelo, ou então a barba.

    ResponderEliminar
  3. Ora lá está, ele corta se quiser e ser obrigado pelos demais é chato. E depois se as figuras publicas podem, então porque não? Hoje em dia até já nem há estereótipos nem tantas recriminações por usarem cabelo comprido.

    ResponderEliminar
  4. Se calhar acham que lhe fica mal e estão a espera que o faças mudar de ideias ahah.
    Mas realmente, porque é que tu tinhas de o mandar cortar o cabelo? Era só o que faltava. Também dou sempre a minha opinião ou sugestão ao meu namorado mas nunca o mando fazer nada.

    ResponderEliminar
  5. as pessoas gostam tanto de olhar para o que é dos outros, parece que ficam com comichão se não dão uma boquinha, enfim, fazes bem em deixar o gambuzino ter o cabelo como quer, até porque com o frio ai dessa terra acho que só uma afro é que vos safa de não congelarem as orelhas :-P

    ResponderEliminar
  6. O Tsuripo muda muitas vezes de "penteado" e também me dizem o mesmo. Eu digo sempre que do corpo dele trata ele, da alma é que trato eu;)

    ResponderEliminar
  7. Não és a única a sofrer com essas opiniões que não interessam a ninguém, há uns anitos o meu namorado decidiu pintar o cabelo de branco, primeiro ficou amarelo e só depois branco, e a pergunta de sempre era: "não te importas que ele ande assim com o cabelo?". Ora por que raio haveria de me importar? O cabelo não é dele? Só gosto dele se ele ficar igual para todo o sempre? Bem, se fosse assim estava lixada, iria ter de arranjar um namorado que não envelhecesse ou que o cabelo/barba dele não crescesse, porque é muito comum na verdade... ;)

    ResponderEliminar

Gambuzinem