quinta-feira, abril 17, 2014

Aquele momento...

Quando estás numa sala de cinema praticamente vazia (Grand Budapest Hotel, que filme tão giro!), e instantes antes do filme começar, entra um rapaz que decide sentar-se mesmo à tua frente. Numa sala praticamente vazia, com uma imensidão de cadeiras vagas, disponíveis e com uma alegria imensa de virem a ter o prazer de servirem de apoio ao rabo e costas do homem, e sem lugares marcados, é à tua frente que ele decide sentar-se, mesmo quando és, muito provavelmente, a pessoa mais baixa da sala. Tivesse legendas, elas eram cortadas pela cabeça do homem.

É por estas e por outras que já há algum tempo que acredito piamente ter alguma espécie de magnético cósmico que faz com que atraia as mais variadas situações, pessoas, azarinhos (aqueles azares mínimos, sem grandes mossas mas que passam a vida a acontecer-me, como queimar uma madeixa de cabelo enquanto o estico, ou ver o autocarro a chegar e eu desatar correr rua abaixo, passadeira e rua acima tudo sem tropeções, sem quedas nem nada e acabar por me espalhar ao comprido ao entrar no autocarro apinhado de gente), tudo isto sempre na sua forma mais estranha ou irritante. Mas será só a mim que estas coisas acontecem?

9 comentários:

  1. Descansa também me acontecem coisas desse género com alguma frequência :(

    ResponderEliminar
  2. Ahah :P acho que todos temos um pouquinho essa sensação... gostaste do filme? Eu queria ir ver mas quero ter a certeza que os meus cinco euros são bem empregues :P

    ResponderEliminar
  3. O que me acontece frequentemente é existir sempre uma passagem ao pé de mim, quando se trata de uma multidão ou um aglomerado de pessoas...

    ResponderEliminar
  4. Nop, não é só a ti acredita lol. Acontecem-me frequentemente situações do género.

    ResponderEliminar
  5. O que eu me ri Karinita! Estiveste mesmo bem, apesar da situação, claro!

    ResponderEliminar
  6. ai senhores... realmente ele teve pontaria !

    ResponderEliminar
  7. eheheh Então e escolher sempre a fila para pagar mais complicada dos hipermercados?? eu, eu, eu...
    Não há uma única vez que corra bem. Ou a passadeira não anda, ou a pessoa esqueceu-se de pesar a fruta, ou o cartão não passa, ou a pessoa da frente resolve passar um cheque e segue-se um inquérito maior que o da polícia judiciária, ou a pessoa da caixa recebe um telefonema, eu sei lá, acontece-me tudo... :D:D

    ResponderEliminar
  8. Comigo é nas multidões. Acham sempre que eu tenho ar de porta para me mudar de sítio e deixá-los passar.
    beijinho

    ResponderEliminar

Gambuzinem