quinta-feira, maio 29, 2014

Obrigada Universo

A Karina sem acento gosta do Rock in rio. E dos Rolling Stones. E de tatuagens. Principalmente as do Ami James.
E onde é que a Karina sem acento está? Não, não está no Rock in Rio a ser tatuada pelo Ami James nem à espera de ouvir os Rolling Stones ao vivo. Está em Dublin, constipada e a trabalhar de robe. Sexy.

Obrigada Universo. Quando queres, consegues ser mesmo sacaninha.

quarta-feira, maio 28, 2014

Memórias de infância #3


Os momentos passados com os meus avós. Férias, fins-de-semana e os tradicionais almoços de família aos domingos com todos presentes. Os chocolates que compravam todas as semanas para mim e para os meus irmãos. O chocolate quente de Ovomaltine que a minha avó preparava com todo amor e carinho e que nunca faltava em sua casa - tanto o amor e carinho como o Ovomaltine. A sua sopa de agrião, que ainda hoje sou capaz de conseguir lembrar com bastante rigor o seu sabor. As nossas caminhadas até ao Pingo Doce e à loja de brinquedos onde queria sempre que eu escolhesse qualquer coisa para me oferecer. O seu sofá de baloiço onde eu me sentava todas as noites a ver a novela com os meus avós. As noites quentes de verão e os nossos passeios depois do jantar pelo bairro. A oficina do meu avô. O mercedes vermelho do meu avô. As conversas que tinha com a minha avó, a quem chamava de "marida". A sua teimosia. E a sua força brutal de querer viver.
Tive o privilégio de passar bastante tempo da minha infância com os meus avós. Sim, sempre que voltava a casa, vinha um pouco estragada de mimos mas nunca a minha mãe se recusou a deixar-me em casa dos meus avós só para não ficar mal habituada. Afinal de contas, o tempo entre avós e netos deve ser das coisas mais preciosas que a vida nos pode oferecer. Pelo menos para mim, foi.

segunda-feira, maio 26, 2014

sexta-feira, maio 23, 2014

Doces palavras para os meus ouvidos



A propósito dos meus queixumes sobre a necessidade que eu tenho em arranjar um blackout (uma espécie de cortina mais rígida e opaca) uma vez que por cá as casas não têm estores e eu acordo mal haja uma pontinha de luz a entrar no quarto - o que começa a ser cada vez mais cedo -, ele vira-se para mim e diz: "Logo vamos ao Ikea... faz a lista do que é preciso!"
Coitado, deve estar farto de me ouvir queixar...

Coisas desta terra #10

Dublin é uma cidade multicultural. Desde que cá estou, já conheci outros portugueses, irlandeses - como é claro - italianos, espanhóis, indianos, alemães, lituanos, polacos, brasileiros, jordanos... Sr. Gambuzino até já conheceu um rapaz aspirante a político do Uzbequistão. Há de tudo um pouco. E eu gosto, gosto muito da possibilidade de conhecer e conversar com pessoas com outras culturas, outras experiências, outras formas de viver a vida (e de falar sobre as comidas de cada sítio!). É incrivelmente enriquecedor.

quinta-feira, maio 22, 2014

O que me vai pela cabeça - em tempo real


Já durmo, sonho e a acordo só a pensar nisto. A ressacar fortemente pela chegada do verão, calor e praia, principalmente num dia tão renhonhó como o de hoje, fresquinho e cinzentão.

Sabes que estás a ficar senil quando...

Estás à procura dos phones para os pôr nos ouvidos e... já os tens nos ouvidos!

quarta-feira, maio 21, 2014

Como uma mãe galinha

Foi-me informado que aparentemente o meu gato perdeu-se em amores por uma gata. O miúdo anda mais meloso e até perdeu algum do seu enorme apetite bem ao estilo do Garfield. Segundo consta, já foi apanhado aos beijinhos e às turrinhas com a dita gata.
E eu? Eu senti-me aquela mãe galinha que, por um lado não deixa de sentir ternura pela relação romântica do seu pequeno, mas que pelo o outro lado, sente uma ligeirinha ponta de ciúme e que não quer deixá-lo sair mais de casa. Nunca. Nunca mais.

Imagino agora se tivesse filhos... havia de ser bonito....

terça-feira, maio 20, 2014

Pronto, lá se foi a moça!

Para quem é fã da série Anatomia de Grey como eu desde o primeiro episódio e, para quem como eu, tinha a Cristina Yang como personagem favorita desde sempre, não deve ter ficado admirado, como nem eu fiquei admirada comigo própria, por ter sentido a maldita da lágrima a querer rondar o canto do olho com o seu último episódio.
E foi com um sorriso nos lábios que vi esta cena.
Bolas, é que foram nove anos a deixá-la entrar em minha casa com toda a regularidade merecida.


segunda-feira, maio 19, 2014

quinta-feira, maio 15, 2014

Ainda de Londres


E primeiro que eu, ainda por cima pitosga, conseguisse encontrar o valor, das moedas? Isto porque as letrinhas são muito pequenas e escondidas. Sacanas.

quarta-feira, maio 14, 2014

Londres // dia quatro

No quarto e último dia só tivemos a parte da manhã para aproveitar dar mais uns passeios, visto que tínhamos o avião para a tarde. Com isto, ainda conseguimos fazer o cruzeiro turístico pelo rio Thames, que demorou cerca de 40/50 minutos. Depois disto, fomos à loja dos m&m's, na Leicester Square.
Ao todo, foram quatro dias sem parar para descobrir uma cidade maravilhosa e fascinante.
A voltar, sem dúvida que é para voltar!
















terça-feira, maio 13, 2014

Londres // dia três

No terceiro dia, Domingo, fomos ver o render da guarda do Palácio Buckingham, que ocorre todos os dias às 11h30 da manhã. Mudança acabada, atravessámos o Green Park, e fomos até Camden Town (não consegui tirar fotos daqui) para apanharmos o autocarro até ao Museu da Royal Air Force, para grande alegria do meu pai. Isto porque eu sou uma pessoa de palavra e tinha prometido levar o homem ao museu de guerra - que viemos depois a saber que estava fechado para obras - portanto, o mais natural foi irmos todos ao museu da RAF. Eu e a minha mãe, confesso, vimos o museu meio a despachar. Depois, fomos a correr até ao National Gallery, na Trafalgar Square, onde tive de ver, também a correr o máximo que consegui, desta vez não por desinteresse - antes pelo contrário - mas porque chegámos 40 minutos antes daquilo fechar. "Oh, por onde é que eu vou... direita? Esquerda? Em frente? Para trás? Oh meu deus, tanta coisa, tanta coisa, e eu sem tempo!!!". Ainda assim, consegui ver quadros de Degas, Renoir, Van Gogh (um dos seus vários quadros de girassóis), entre outros. Para a próxima vou para lá bem cedinho e só saio quando tiver visto tudo e mais alguma coisa.
O dia acabou em Leicester Square, uma praça pedonal, repleta de cinemas, teatros, restaurantes e lojas.

Um dos portões do Palácio












Trafalgar Square, visto do National Gallery

Leicester Square

A loja mais doce de sempre

Restaurante fofinho na Leicester Square, onde jantámos