sexta-feira, agosto 01, 2014

Quem tudo quer, tudo perde

Então diz-se agora que o governo português quer cobrar direitos de autor a quem compre telemóveis, discos externos, pens, etc, etc. 25 euros mais impostos para além do valor de cada produto.
Mas não há nenhuma mente brilhante que elucida caros governantes portugueses em dois pequenos pormenores?:

1) Estão a presumir que todas as pessoas que compram materiais informáticos de armazenamento de dados fazem-no para guardar materiais de outras pessoas. Eu, por exemplo, tenho quatro discos externos, umas quantas pens e cartões SD para as máquinas fotográficas e não tenho guardado nem uma única música retirada da net ou de outro lugar qualquer, não tenho imagens com direitos de autor, não tenho filmes nem vídeos de outros, nada de nada. Tenho este material todo para guardar única e exclusivamente os meus trabalhos desde a faculdade até aos dias de hoje, trabalhos de cariz pessoal, o portfolio, os trabalhos de workshops e cursos que eu vou tirando, fotografias minhas e vídeos meus.

2) Pá, quem tudo quer, tudo perde. Que é como quem diz: vai ser ver o pessoal a acenar enquanto diz "adeus Worten", "adeus Fnac" e afins, e abrir os bracitos de emoção enquanto cumprimenta "olá Amazon", "olá Ebay", e outros.

7 comentários:

  1. Não ligues, que o governo português está "chalupa"...

    ResponderEliminar
  2. Já em outros países se fazia isso. Mas aí deixou de ser crime copiar CDs ou DVDs. Os impostos pagos em suportes vão para uma coisa semelhante à Sociedade Portuguesa de Autores. Confesso que também tenho muitos desses suportes só com material de trabalho. Mas, ao contrário de ti, sou igual à maioria, sim à maioria, tenho CDs com músicas que tirei do Youtube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também já tive cd's com músicas que sacava da net, até ao momento em que comecei a trabalhar e, se eu não faço nada de borla, os outros também não devem querer. Se quiser ver alguma série ou algum filme, vejo por streaming. Oiço música pelo spotify ou pelo youtube. E ainda compro cd's de bandas que gosto. Sei que não faço parte da maioria, mas não sou a única e a verdade é que estão a pôr tudo no mesmo saco. Além do mais, conheço pessoas que compram músicas, filmes, etc, e que já disseram que, indo isto para a frente, vão começar a piratear visto que teriam de pagar duas vezes os direitos de autor.

      Eliminar
  3. a verdade é que o pessoal se queixa, com uma certa razão vá, mas em Portugal não existe qualquer respeito por direitos de autor, portanto se esse dinheiro efectivamente vá pra compensar isso.... Pode é não ir.

    ResponderEliminar
  4. Concordo contigo, o pessoal não tem respeito nenhum por direitos de autor. Mas chateia-me bastante o justo pagar pelo pecador, isto porque ainda há quem respeite os direitos de autor. Talvez as leis anti-pirataria devessem sem mais fortes e punitivas, por exemplo. Esta solução que arranjaram não me parece a melhor - porque, lá está, iria o justo pagar pelo pecado - e até estou a ver as vendas nas lojas a descerem por começarem a comprar cada vez mais em sites como na amazon ou ebay. Mais a incerteza sobre o dinheiro ir parar nas mãos certas ou não...

    ResponderEliminar
  5. Talvez o governo se lembre de começar a taxar também as canetas, os lápis e as folhas de papel, já que esses itens me permitem copiar livros inteiros. looool

    Agora mais a sério, enquanto mantiverem os preços dos CD's e DVD's como estão, a pirataria não vai diminuir.

    ResponderEliminar

Gambuzinem