terça-feira, setembro 09, 2014

Uma triste realidade

Estava eu nas bilheteiras do metro de Lisboa quando sinto alguém a aproximar-se. Esse alguém, vejo eu, é uma mulher na casa dos trinta anos, cabelo penteado, vestida de forma simples, mas arranjadinha e com uma mala ao ombro e uma pastinha na mão. A pele normal, dentes normais, nariz inteiro, não cheirava mal. Diz-me ela, em voz muito baixinha, que anda à procura de trabalho mas que não consegue arranjar nada e que tem fome. Muita fome. Queria comer.
Volto a olhá-la de alto a baixo e volto a reparar na pastinha, no seu ar lavadinho e arranjado. Pelo ar, andou ou a entregar currículos ou em entrevistas. E eu arrepiei-me de alto a baixo, porque dava para ver que não era mais uma drogada que andava a pedinchar. E o seu tom de voz, baixinho quase como um sussurro, mostrava que o que estava a fazer, a pedir dinheiro para comer, fazia-o com vergonha.
Por norma, não dou dinheiro. Posso ir até ao café mais próximo e comprar algo para a pessoa comer, mas como estava com pressa e olhando rapidamente para os lados não via nada por ali perto, abri a carteira e dei alguns dos trocados que tinha comigo.

E isto deixou-me completamente desconcertada. Eu não sei a história da mulher, não sei se está há muito ou pouco tempo desempregada. Não sei se tem ou não filhos e marido. Não sei anda à procura de um trabalho em específico ou se "qualquer" coisa serve. Não sei se é uma pessoa honesta ou desonesta, se é simpática ou antipática. Não sei, não sei de nada. Mas dava para ver que não era mais uma drogada ou alguém que prefere pedir esmola do que arranjar um trabalho. Dava para ver que tinha fome.

Quantos mais não andarão assim? Triste realidade.

11 comentários:

  1. Infelizmente, é a triste realidade em Portugal :(
    http://coeurdartichautbyannabelle.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Tão triste quando se vê estas situações, se era verdade então... :( da última vez que estive em Lisboa vi muitos idosos a pedir, parte-me o coração até porque são pessoas que já não podem fazer muito mais nesta vida e estão no meio dos semáforos a pedir para conseguir comer, porque senão com as reformas de 200 euros não vivem. E ter fome, num país de terceiro mundo onde pagamos os impostos que pagamos, que existam pessoas nesta situação...

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente há cada vez mais pessoas a passar pelo mesmo "aperto". Foi uma atitude muito bonita a tua, poucas pessoas o fariam.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Também já me vi numa situação assim. Uma pessoa arranjada, a pedir dinheiro baixinho, porque tinha fome e estava a tentar não ir viver para a rua. É devastador, é completamente desumano.

    ResponderEliminar
  5. Não sei que te diga...põe tudo um bocado em perspectiva. Às vezes andamos aqui a queixar-nos e temos "tudo".

    ResponderEliminar
  6. É triste que haja por aí pessoas com fome. Parte-me o coração, sinceramente.

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente mais comum do que se pensa. Já me aconteceu também no Largo Camões. O que fiz foi levar a senhora a lanchar.

    ResponderEliminar
  8. Demasiados. Há demasiados casos assim e é de partir o coração.

    ResponderEliminar

Gambuzinem