segunda-feira, dezembro 08, 2014

A vida por Dublin #1 / Custo de vida

Desde que vim viver para a Irlanda que já recebi uns quantos e-mails sobre como é viver por cá. Desde o custo de vida, como se pode fazer para alugar casa, ou mesmo o que ver quando se vem de férias. Como tal, há uns dias estava eu a pensar cá para os meus botões e decidi criar uma rúbrica aqui no estaminé sobre como é viver em Dublin e explicando mais ou menos a nossa (minha e de Sr. Gambuzino) experiência e a nossa visão das coisas - isto não invalida que quem queira enviar e-mail com questões, deixe de o fazer. Feel free to do so!

Sobre o custo de vida, há uma conversa típica bastante engraçada entre nós e irlandeses que a gente acabe de conhecer, em que umas das perguntas mais frequentes da parte deles é "e o que acham do custo cá? Isto é tudo muito caro, não é?", ao que a gente responde sempre "olha que não... em Portugal as coisas podem ser até ligeiramente mais baratas, mas muito pouco, e o ordenado mínimo lá é três vezes inferior!". A reacção deles, por norma, é bastante idêntica a isto:


Ou seja, de uma forma geral, as coisas são ligeiramente mais caras que em Portugal - se bem que há coisas do dia-a-dia, compras de mercearia, que encontramos ao mesmo preço ou até mais baratas - e como aqui a média dos ordenados é bem superior  - o ordenado mínimo cá anda nos €8,60 por hora - compensa bastante.
Onde notamos maior diferença é na renda das casas, isto comparando com Lisboa. A economia irlandesa tem vindo a melhorar aos poucos, em Dublin especialmente há uma procura maior que oferta e nos últimos meses as rendas subiram bastante, apesar de se começar a ver alguma estabilização de valores. Mesmo assim, o maior problema é mais encontrar uma casa (quer seja a partilhar ou não) minimamente decente. Vê-se muita coisa estranha quando se anda à procura de casa, nota-se que não têm pejo nenhum pelas casas.


Até ao final deste ano, a água canalizada tem sido de borla mas uma das imposições do FMI foi começar-se a pagar. Apesar de haver de quando em vez uma ou outra manifestação contra, parece que a medida vai mesmo em frente. E não me parece que vá ficar muito caro: nas moradias vai haver um custo por m3 de água gasta enquanto que nos apartamentos é um valor fixo por pessoa.
Pelo menos nos apartamentos é tudo eléctrico, não havendo nada a gás, e os preços são idênticos aos de Portugal. 


Para um turista ou para um estudante, vindos com orçamentos portugueses, o custo de vida por cá pode tornar-se um pouco abusivo. Comer fora por norma sai caro, isto se não quiserem passar o tempo todo a comer McDonald's - que cá tem uma opção vegetariana, o Spicy Veggie Wrap, iéééiiiii - ou restaurantes do género. Mas também não esperem comida local fantástica, é tudo muito à base de fritos, como o Fish&Chips e Chicken Wings. No entanto, se forem fãs de comidas étnicas, já se come melhor, apesar de, regra geral, os valores serem mais elevados que em Portugal.


Comprar roupa cá, mais €10, menos 10€, vai dar ao mesmo em relação a Portugal. Zara e Mango custama ser entre 5€ a 10€ por cá, mas em lojas como H&M, Accessorize, Parfois - apesar de ser uma marca portuguesa! -, os preços são exactamente iguais.

Posso dizer que, em média, acabamos por gastar praticamente o mesmo ou pouco mais que gastávamos em Portugal. Gasta-se mais um pouco nalgumas coisas, mas consegue-se poupar noutras. Mas o importante é que, no final do mês, consegue-se poupar muito mais que em Portugal. Not bad, not bad at all!

6 comentários:

  1. É óptimo que comeces a fazer esta rubrica porque daqui por us tempos, vá, no prazo de dois anos, eu e o meu namorado pretendemos ir para o estrangeiro. Entretanto eu vou começar um estágio profissional e eles está a trabalhar mas quer ir acabar o curso de engenharia para o próximo ano lectivo. Portanto, mais um ou dois anos e as coisas devem mudar de rumo e, isso significa ir para o estrangeiro. Já vivi em Londres mas, desta vez e a pensar mais na área do meu namorado acho que a Irlanda é uma boa opção :) Vou ficar atenção a esta rubrica *.*

    ResponderEliminar
  2. Realmente, às vezes fico a pensar como é possível um português sobreviver com o ordenado mínimo em Portugal...

    ResponderEliminar
  3. O valor das rendas é exorbitante. Existe pouca oferta para tamanha procura e se falares con um portugues que viva na realidade portuguesa... Ele vai ficar boquiaberto do valor das rendas que pagamos por aqui. Mas là está, no geral é possível poupar cada mês e os ordenados nem sao comparáveis.

    ResponderEliminar
  4. O conseguir poupar seja pouco ou muito faz a diferença toda!!! :)

    ResponderEliminar
  5. concordo! Não da para nada, vejo amigos meus que ainda vivem em casa dos pais porque com o ordenado minimo não dá para saírem de casa! É assustador! Adorei o teu post, bastante explicito! Devias fazer mais posts sobre a Irlanda, tipo cultura, coisas estranhas, etc :)


    Portuguese Girl with American Dreams
    http://fromportugaltonyc.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Gambuzinem