quarta-feira, março 11, 2015

É hora de se ver justiça!

Logo após a passagem de ano, ainda estávamos nós em Lisboa de férias, uma amiga minha e de Sr. Gambuzino telefona-nos a contar, entre lágrimas e soluços, que alguém tinha envenenado os seus dois cães, um casal de Leões da Rodésia. Dois bichinhos que, apesar do seu grande porte, eram das coisas mais meigas e bem comportadas, e que nunca tinham atacado quem quer que fosse. Faziam parte daquela família e eram vistos como tal, como elementos importantes da família.
Mal a mãe da minha amiga se apercebeu que os cães não estavam bem, tratou logo de os levar ao hospital veterinário mais próximo e, após isso, chamou a polícia. A polícia, por sua vez, avisou que em menos de seis meses, já era quarto caso de tentativa de envenenamento de cães naquela zona.
O pior, no meio disto tudo, foi terem feito o que fizeram com requintes de malvadez: o tipo de veneno e a sua dose - que foi inserida num bocado de carne para os cães comerem - era de tal maneira que não os matou em poucos minutos mas sim só passado três ou quatro dias, após bastante sofrimento, levando os seus orgãos a falhar, devagar, um a um. Os veterinários fizeram de tudo para os salvar e minimizar ao máximo o seu sofrimento mas em vão. Passados esses dias, acabaram mesmo por morrer.
A minha amiga e a sua família ficaram, como devem imaginar, devastadas. E eu, mais uma vez, fiquei enraivecida e estupefacta com a maldade das pessoas. Fazem o mesmo a pessoas, a crianças, a pais, a filhos, eu sei... Mas perder um animal de estimação também é doloroso, ainda para mais em situações como estas.

A minha amiga nunca soube ao certo quem matou os seus cães. Mas os donos do Simba (também ele um Leão da Rodésia) sabem, e nós todos ao assinar esta petição podemos ajudá-los para que se faça justiça. Está na hora de começar a ver a lei a funcionar!

16 comentários:

  1. Eu já assinei e realmente fico chocada com a maldade das pessoas. Como é possível? Mas também, se deixam os idosos morrer nas urgências de hospital, se abandonam os idosos em lares sem se preocupar com as condições, se violam crianças, se batem em mulheres, o que devíamos esperar das pessoas? Cada vez acredito menos na boa fé das pessoas mas sei que ainda há pessoas assim e isso acaba por me alegrar um pouco. Quando ouvi a notícia do Simba, agarrei na minha gata que é uma paz de alma e lembrei-me de todos os animais que tive até então. Fossem cães ou gatos e que, pelas mais variadas situações morreram ou foram entregues a outras pessoas. Mas houve duas mortes que me entristecerem muito e chorei muito na altura. Um gato, pequeno que nos deixaram abandonado à porta de casa e que nós acolhemos, que saltou do sofá para o chão e aleijou-se na perna. Foram os últimos dois dias do gatinho. Talvez tenha sido o comprimido que o veterinário lhe deu ou até a própria queda, mas lembro-me de ouvir o meu gato a miar alto e quando o vou ver ele está estarrecido no chão cheio de xixi à volta. Foram as últimas horas do meu gato e eu não dormi nada. Fiz o que podia, tentei dar-lhe alguma coisa de comer e até de beber. Quando o dia nasceu, ele morreu. Mas, mesmo assim, morreu acompanhado e a saber que os donos o amavam.
    A outra morte que me entristeceu muito foi a morte do meu Farrusco. Um cão da Serra da Estrela, dócil que só ele. Foi o último animal que tivemos antes da nossa actual gata e ninguém me tira da cabeça que o meu cão foi morto por envenenamento. Neste caso não posso dizer que ele morreu acompanhado porque isso não aconteceu. Lembro-me de nesse dia eu chegar ao pé, dar-lhe miminhos enquanto dizia "vá, eu vou à escola e quando voltar vamos brincar os dois". Cheguei da escola e vi o meu cão a dormir pelo que não o fui chatear mas, quando o meu pai chegou é que disse "então não vêm que o cão está morto?" Caiu-me tudo. Chorei dias a fio e jurei que nunca mais iria ter animais mas, nós cá em casa gostamos tanto de animais que acabamos sempre por adoptar um. A Cooki foi adoptada há quase quase anos e ela própria já apanhou um susto grande por parte do meu vizinho. O Filho da mãe, que deixou morrer o próprio cão à fome e à seda, bateu na minha gata. Uns dias depois de ela cá estar, lá se aventurou e desceu as escadas. Teve o azar do filho da mãe do meu vizinho apanhá-la e só sei que quando ela entrou em casa a correr, foi-se logo sentar no meu colo e procurar carinho. O coração dela batia tão depressa. Foi a primeira vez que deixou que nós lhe déssemos carinho.
    Eu nunca fiz petições mas sempre defendi os animais e se eu pudesse tinha um quintal enorme onde os acolhia. Dá-me pena vê-los na rua à procura de comida e bebida. Às vezes, quando andam a rondar a casa, eu dou-lhes o que poder mas outras vezes, por mais que me custe, evito fazer isso porque depois habituam-se e não saem daqui de perto e nós não temos mesmo condições para tratar de muitos animais.

    A mim magoa-me é tudo isto. O monstro que fez o que fez ao Simba não vai ser julgado, tenho quase a certeza disso. Nem ele, nem outros tantos que também fazem mal aos animais como fazem aos humanos. Monstros, é o que são.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser que venha a ser julgado e que sirva de exemplo. Vamos ver!

      Eliminar
  2. Já assinei.
    O meu Gato desapareceu de um dia para o outro. Nunca mais o vi. Chorei baba e ranho. E tenho quase a certeza (se não a certeza toda) que foram os meus vizinhos que o mataram.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente nunca fizeram nada de mal aos meus bichinhos, mas já tivemos uma situação mais chata.... tive um cão de água que de vez em quando deixávamos ir à rua sozinho. Ele dava a sua voltinha e passado uns minutos voltava. Todas as pessoas do bairro conheciam o cão e sabiam que era nosso. Mais importante, sabiam que ele não fazia mal a ninguém. A única coisa que ele fazia era ladrar, principalmente aos carros.
      E alguém fez queixa. Apareceu a polícia à porta a avisar que se o cão fosse visto mais alguma vez na rua sem estar acompanhado por pessoas, que levavam-no. Queixa de um cãozito super meigo... enfim!

      Eliminar
  3. Prefiro não acreditar na maldade, acho sempre que só pode ser doença! Ninguém na sua capacidade normal pode ser capaz de tanta maldade, pois não?? Medo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu acredito que há pessoas más. Há pessoas invejosas, egoístas, há de tudo!

      Eliminar
  4. Mas porque é que as pessoas são tão más!?!?! Sabes ainda me faz ficar mais furiosa quando as pessoas fazem mal a animais que não se podem defender...Deviam apodrecer na prisão!!!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazem a animais, fazem a crianças, fazem a idosos! A maldade pelos vistos não tem limites! Concordo contigo, quem faz coisas destas devia aprodecer na prisão!

      Eliminar
  5. Este tipo de coisas revolta-me de uma maneira que chego a ficar enjoada mesmo! Vou já assinar a petição e espero que se faça mesmo justiça!

    ResponderEliminar
  6. Assinado! Não posso com estas coisas, que mal fazem os bichos a gente tão malvada? Também já me envenenaram dois gatos que a única coisa que faziam era ter o azar de passar num certo quintal onde havia vários cães de caça que ladravam à sua passagem e os vizinhos faziam queixa. Foi muito mais fácil matar os gatos do que resolver o problema de arranjar um sítio longe das casas para ter os cães... Enfim!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :( a sério, eu às vezes nem quero acreditar em certas histórias... :/

      Eliminar
  7. Também aconteceu aos meus tios, para lhes assaltarem a casa... Uma vergonha... Mas se a justiça em portugal não funciona com os humanos como é que vai funcionar com os animais?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos já há realmente lei na constituição para que possa haver justiça. Agora é ver se se fazem alguma coisa!

      Eliminar

Gambuzinem