quinta-feira, março 19, 2015

Não há cá mais desculpas!

Estava eu no ginásio a pedalar para queimar todas as calorias do Gin tónico que tinha bebido nas vésperas, quando vejo um senhor, na casa dos seus quarenta anos, a aproximar-se da bicicleta ao meu lado. O que tinha ele de especial? Era cego.

E aqui, meus amigos e amigas, está a beleza da questão. Quantas vezes não arranjo eu desculpas para não ir ao ginásio? Porque está frio. Porque está a chover. Porque não tenho tempo. Porque tenho fome. Porque não tenho apetite. Porque é fim-de-semana, saí na véspera e quero é ficar mais um pouco na cama. Porque não, hoje não me apetece ir ao ginásio porque quero ir antes ao cinema. Porque tenho preguiça. Porque simplesmente não me apetece.
Mas aquele senhor ao meu lado, com a maior das desculpas que poderia usar, estava de facto ali. Sem desculpas. Sem queixumes. E, acreditem, os acessos dos ginásio não são dos melhores.

Da próxima vez que for para arranjar alguma desculpa para ficar com o rabo assolapado em casa, vou pensar duas vezes.

6 comentários:

  1. Fogo grande chapada moral... Nunca tinha pensado nisso!

    ResponderEliminar
  2. Isso é que é força de vontade! Obrigada por partilhares aqui connosco esta situação!
    Um grande beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Possas, que grande coragem mesmo !!!
    E assim se dá uma grande lição!

    ResponderEliminar
  4. Não percebo este post. Por ser cego de eria estar confinado em casa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes pelo contrário - nem eu disse isso. Com este post estou a elogiar pessoas como este senhor que têm a vida dificultada mas que mesmo assim não usam a sua condição física como desculpa e decidem sair de casa e fazer a sua vida. Ao contrário de mim que, felizmente, não tenho nenhuma condição física que me dificulte a vida, mas que uso muitas vezes desculpas esfarrapadas para não sair do conforto de casa.

      Eliminar
  5. No ginásio onde vou também anda uma rapariga cega, belo exemplo de vida também!

    ResponderEliminar

Gambuzinem