sexta-feira, abril 10, 2015

Conversa à mesa, só entre mulheres

Uma grávida e as outras já mães. E eu, claro, que tenho uma certa dificuldade em manter as minhas plantas vivas quanto mais ser responsável por outro ser com pernas, braços e tudo mais.
Bem, começam elas a falar de gravidezes e pós-gravidezes - ou, visto da minha perspectiva, começam numa conversa de espectáculo de horrores.
Uma dizia que as suas gravidezes tinham sido espectaculares mas os mamilos tinham gretado de tal maneira que tinham dado mais dores que os partos propriamente ditos.

E eu a ouvir

Outra dizia que à conta disso, conhecia alguém cujas pontas dos mamilos tinham caído.
E eu que continuava a ouvir

A terceira dizia que na altura de parir tinha gritado até dizer chega.
E eu a não querer ouvir mais

A última dava graças pela sua criança ter nascido de cesariana, que o bebé era tão grande mas tão grande que se fosse por vias naturais ficava toda rasgadinha. E eu

Sei que pode ser a coisa mais natural do mundo, que as coisas são mesmo assim, e que todas dizem que vale sempre tudo a pena. Mas a ouvir isto tudo, num misto entre escandalizada e aterrorizada, só conseguia imaginar melancias a tentarem a passar por palhinhas, a mamas a caírem e esborracharem-se no chão, e enfermeiras a porem mordaças nas bocas das mulheres a parir, isto tudo num cenário apocalíptico repleto de chamas, nuvens cinzentas num céu negro com vento soprando assustadoramente.
Acredito que pegar num bebé nosso seja uma sensação única, mas a meu ver que não sou mãe, que não tenho grande instinto maternal e nem sei sequer lidar com crianças - o que é que se fala com elas? - acho os meios para chegar a esse fim no mínimo assustadores e macabros...

32 comentários:

  1. Acho que as tuas amigas exageraram bastante. Eu tive parto natural, e as dores das contracções, são fortes, isso são, mas nada que não se suporte. O sair do bebé nem se sente e a recuperação foi rápida e serena. Dei de mamar, é verdade que os primeiros dias são difíceis por causa da subida do leite, mas nada que umas massagens não ajude a passar e um duche de água quente ou gelo na mamoca, depende da pessoa. Depois dessa primeira fase de amamentação, tudo entra na normalidade. Ainda hoje dou de mamar ao Lucas, faz 15 meses amanhã. já tem montes de dentes, não, não me morde e ainda tenho as minhas mamas inteirinhas e bem jeitosas ;)
    Faz como eu, durante muitos anos eu pensei que não queria filhos. As conversas de mães e de grávidas eram coisas que me aborreciam profundamente e por isso mesmo entravam a 100 e saiam a 200. Não tinha por isso, nada gravado na memória sobre as coisas horríveis que algumas contam. Depois mudei de ideias, engravidei, foi óptimo, pari, e correu bem, e aqui estou eu, mãe de um menino de 15 meses que se porta lindamente, não fiquei com estrias, nem com a dita cuja desfeita e as minhas mamas ainda cá estão ;)
    https://instagram.com/annabelle_madeira/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conhecendo como as conheço, principalmente a minha mae, nao exageraram. Mas tambem diz que foi a unica coisa que lhe custou, os mamilos gretados - isso e a recuperaçao da cesariana, que foi mais dolorosa que os partos normais. Mas sim, tenho a noçao que se um dia decidir engravidar, pode tudo correr as mil maravilhas... Mas tb pode ser horrivel. Quando chegar a altura - se chegar - logo se verá! Beijinhos***

      Eliminar
  2. Dei uma vista de olhos, mais tarde leio com calma. Quando tenho a sorte (ou azar) de ouvir conversas dessas, o efeito é "boasl, ter filhos?!". Depois costumo dizer: "É tão bom não ter horas para acordar ao fim de semana..." :p

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que as mães exageram sempre um pouco na hora de contar como foi o parto e o pós parto, mas deve ser a melhor sensação do mundo ter um filho =)

    ResponderEliminar
  4. As tuas amigas devem ser muito teatrais ou tu, desculpa e sem ofensa, uma medrosa do pior. Tenho duas filhas e estou a caminho do terceiro. Percebo perfeitamente que não tenhas instinto maternal, nem todos nascem para o efeito e são felizes de outras formas. Mas para que conste, custou-me mais ser operada à vesícula que ter as minhas filhas. Os mamilos gretados custaram-me menos que algumas esfoladelas que fiz nos joelhos quando era criança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada qual com a sua experiência, melhor não se levar tanto a peito a escrita da karina, isto é um blogue, para entreter e para levar com (certa) seriedade, não é preciso trazer a espada para todo o lado e essa irritação toda que a Karina não quis ofender ninguém. A vida já tem tantas coisas más para quê ficar toda abespinhada desta forma. Ainda bem que só teve boas experiências mas claramente ficou a agressividade. Deve ser da vesícula então.

      Eliminar
    2. Como a JO diz, não quis ofender ninguém. Acredita que quando quero ofender, sou bem mais bruta. Lá por nao ter instinto maternal, nao quer dizer q um dia nao venha a querer ter filhos, agora é q nao. E nao foram amigas, foram familiares q contaram estas experiências, uma delas a minha mae (que disse a parte dos mamilos terem gretado tanto q doeu mais q os partos - dois naturais e uma cesariana) e podes ter a certeza que nem a minha mae é teatral - em quase trinta anos so a vi de cama doente uma vez, nao por ela nao adoecer mas porque deve ser das pessoas mais fortes que conheço. Nem eu sou medrosa, simolesmente nao vejo a gravidez como algo muito bonito a nivel fisico, com tanta transformaçao que ocorre no corpo de uma mulher.
      Cada mulher tem experiências diferentes - enquanto a minha mae diz que nunca teve sintomas, nem dores nem desconfortos durante as suas 3 gravidezes, sei de outras gravidas que nao gostaram de estar gravidas com tanta ma disposiçao. Como tal, nao me parece muito bem, Timtim tim, "julgares" outras pessoas quando não as conheces. Fico contente por passares gravidezes bonitas e boas recuperaçoes mas nao quer dizer que aconteça o mesmo com todas as outras mulheres.

      Eliminar
    3. Para que conste, e só soube destas respostas por intermédio da Cyntia, disse a primeira frase num tom de brincadeira, aliás, toda a resposta foi num tom de brincadeira. Peço desculpa se ofendi alguém. O que disse é verdade quanto a mim. Mas tanho milhentas amigas como tu e não gosto menos delas por isso. Peço desculpa mais uma vez. Ah e reforço a ideia: acho absolutamente normal uma mulher não querer ter filhos, é uma opção como outra qualquer, seja qual for o motivo que está por detrás disto!

      Eliminar
    4. Pronto, no hard feeling, espero eu :)

      Eliminar
  5. Até eu que estou grávida me assusto com conversas dessas...

    ResponderEliminar
  6. Tou contingo.... Noutro dia aprendi o que era o "rolhão" (não pesquises....) e não queria ter aprendido...
    Quero anestesia geral e acordar com a criança limpa e cheirosa ao lado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. À conta da gravidez da minha melhor amiga tb fiquei a saber... Estou contigo!

      Eliminar
    2. Então, já somos três! Anestesia geral e bebé limpo e rosadinho sff! ;)

      Eliminar
    3. É claro que fui pesquisar... Nao devia ter feito :/
      Sim, anestesia geral e bebe limpinho, sff! Lol

      Eliminar
    4. Oh dear... acabei de ir ver o que era... note to myself: não me por a fazer estas pesquisas depois de almoço :s

      Eliminar
    5. Eu como sou Maria vai com as outras, lá tive de ir ver.
      Nunca tinha ouvido falar nisto (asshole!!) e quando tive a minha criança, depois de mais de 24 horas de sofrimento (sim, neste caso, sofrimento), foi sob o efeito da epidural, que não há coisa melhor. Acho que quando começou a fazer efeito só ouvia os passarinhos...
      Se quero ter mais filhos? Claro. Porque é que temos mais filhos? A "coisa" só doi na hora.

      Eliminar
  7. O parto também me parece um circo de horrores!! Diz que é a única forma de termos bebés nossos, por isso um dia lá terá que ser, visto que quero ser mãe!! Ainda vejo esse momento lá longe, mas também já panico com ele!! :)

    ResponderEliminar
  8. ahahah adorei o "exagero" ;)

    também fico com suores quando se poem com essas conversas á minha volta. Mas se calhar, quando e se chegar a nossa vez a coisa é ligeira!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  9. LOL Não pude evitar rir!
    Às vezes, a maneira como se contam estas experiências leva-nos a pensar que é muito mau. Mas não é bem assim. Há de tudo, porque os partos não são todos iguais, muito menos as mulheres e cada uma reage de maneira diferente às dores, às situações...
    Eu tive um parto normal, com ventosa, que durou 12 horas. E não me custou nada! Contrações? Tive. Bem suportáveis. E depois que te administram a epidural não sentes mais nada...
    É tudo muito relativo... Mas, acredita, não é nenhum bicho de sete cabeças. ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Tal e qual. A mim faz-me imensa impressão tudo isso. O parto natural ainda me faz mais confusão que o de cesariana porque têm de nos cortar e nem sequer é com anestesia e eu fico toda incomodada com isso e só penso como é que aquilo depois volta ao normal (suponho que nunca mais volte ao mesmo não é?) grrrrr depois há a questão das mamas, diz que dói imenso amamentar... É um inferno que vai durar demasiado tempo não? Quer dizer, há crianças que mamam até já serem maiorzitas :o

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fui digamos "cortada" (visto não ter feito dilatação nenhuma) e levei epidural.
      resultado, não senti nadinha. O pós, já é outra conversa. :-)

      Eliminar
  11. Como te compreendo! Oiço tantos horrores em relação a gravidez que fico mesmo assustada. A parte dos mamilos gretarem e terem que apertar as mamas para o leite não coagular (diz que dói horrores) faz-me mais impressão do que o parto propriamente dito!
    Ah, fala com as crianças normalmente. Eu falo pra elas como se fossem adultos e elas adoram-me :P

    ResponderEliminar
  12. A minha gravidez foi, no geral, serena. Não guardo saudades, porque dispensava a barriga enorme, a falta de posição para dormir, a azia, enfim. Mas não tive enjoos e, no geral, correu bem. Quanto às contracções, achei q eram suportáveis. E durante o parto, eu estava a dormir, foi cesariana, com anestesia geral, acordei já com ele limpinho e vestido. As experiências são todas diferentes, a minha não foi má e a recuperação também não. Mas mesmo que tivesse sido pior, acredito que o filho seja recompensa mais que suficiente por tudo isso. Eles são lindos!

    ResponderEliminar
  13. Ahaha! Isto está muito bom :P eu também acho a gravidez e o parto um bocadinho assustadores... mas sou daquelas que acha que tudo é compensado pelos filhinhos :)

    ResponderEliminar
  14. OK! Posso dizer que me doi as entranhas

    ResponderEliminar
  15. Eu também pari dois filhos e já nem me lembro nada disso, quando olhamos para eles, passa tudo. Dói um cadito vá, mas acredita, do que me lembro mesmo é que fui ter um filho e levei 3 pontos na cabeça eheheh ( caí e bati com a cabeça no berço) o que me ri com a situação :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, se não esquecêssemos não tínhamos mais :-)

      Eliminar
  16. Ando tanto a passar por isso com as minhas colegas de trabalho. Fogo pah NO ONE CARES. Lol é mesmo a traumatizar uma pessoa...

    ResponderEliminar
  17. Se não tivesse a certeza, dizia que este texto podia ter sido escrito pela minha irmã, é tal e qual isto! :P

    ResponderEliminar
  18. Ai é mesmo! Detesto ouvir essas conversas. Parece que as mulheres não sabem falar de mais nada depois de serem mães, parece que perdem a pessoa que eram.

    ResponderEliminar
  19. Excesso de informação que também evito estar presente! Mas trabalhei num projecto sobre aleitamento materno e não deu para fugir, estava a entrevistar as mães via telefone e a encolher-me toda com as experiências menos positivas :S

    ResponderEliminar

Gambuzinem